As cabines de Londres estão a ficar verdes em nome do ambiente

Através de energia solar, cabines permitem recarregar baterias de telemóveis, tablets e máquinas fotográficas.

Fotogaleria
CARL COURT/AFP
Fotogaleria
CARL COURT/AFP
Fotogaleria
CARL COURT/AFP
Fotogaleria
CARL COURT/AFP
Fotogaleria
CARL COURT/AFP

Algumas das icónicas cabines telefónicas de Londres, no seu vermelho vivo, vão ser pintadas de verde, a cor da defesa pelo ambiente. A reutilização daquelas cabines para outras actividades que não fazer telefonemas não é uma novidade, mas desta vez vão servir para recarregar as baterias dos telemóveis, tablets ou mesmo máquinas fotográficas, através de energia solar.

Pequenas livrarias, instalações artísticas. As cabines telefónicas vermelhas começam a ter outras funções perante o decrescente uso que têm vindo a sofrer com o surgimento dos telemóveis. Desde esta semana, uma destas cabines pintada de verde foi colocada em Tottenham Court Road.

Sob o nome de Solarbox, devido ao painel solar de 86 centímetros colocado no topo da estrutura, a cabine permite que os telemóveis sejam recarregados gratuitamente através de vários terminais destinados a diferentes tipos de aparelhos móveis. No interior, há ainda um pequeno ecrã onde são exibidos anúncios.

A Solarbox funciona entre as 05h30 e as 23h30, todos os dias, e tem capacidade para recarregar até 100 baterias por dia. Em apenas 10 minutos, é possível recarregar até 20% da bateria. Desde que entrou em funcionamento, a cabine está a ser utilizada por uma média de seis pessoas por hora.

A ideia partiu de dois estudantes da Escola de Economia de Londres interessados em dar outras utilizações a espaços públicos, tendo em conta o respeito pelo ambiente e a utilizações de outras fontes de energia. O projecto acabou por ficar no segundo lugar do concurso Low Carbon Entrepreneur of the Year Award atribuído pelo mayor de Londres, no valor de cinco mil libras (cerca de 6400 euros).

O projecto está a ser financiado com o valor do prémio e através da venda de publicidade. No ecrã que se encontra no interior da cabine são mostrados anúncios exclusivos, sendo que 30% são de divulgação de projectos comunitários.

Por agora apenas uma está a funcionar no centro da capital britânica mas até Abril do próximo ano serão seis abertas ao público.