Benjamin Le analisou as páginas do Facebook de mais de 200 pessoas DesiFCK
Foto
Benjamin Le analisou as páginas do Facebook de mais de 200 pessoas DesiFCK

As “relfies” são as “selfies” dos casais (e dizem algo sobre o teu relacionamento)

Selfies de casais felizes podem ser sinal de relacionamentos saudáveis, concluiu um estudo de um psicólogo. Mas o excesso pode irritar os teus "amigos"

Tornaram-se virais nas redes sociais e isso já lhes valeu um nome próprio. Chamam-se “relfies” e são uma espécie de categoria dentro da “selfie”. Já adivinharam? “Relfie” = “selfie” + “relationship”. Trocando por miúdos: um auto-retrato de um casal. Invadem o nosso “feed” do Facebook (geralmente acopladas a promessas de amor eterno) e, a par da alteração do “estado” para “numa relação com...”, são provavelmente a forma mais utilizada para mostrar online que se está comprometido. O investigador Benjamin Le olhou para esta realidade e procurou perceber o que dizem as “relfies” e outro tipo de informações sobre as relações postadas no Facebook sobre o casal e como é que os outros vêem essa exposição: serão mais felizes os casais que fazem questão de se mostrar ao mundo?

Aparentemente, sim. O autor descobriu que quem assume publicamente a relação no “status” (“numa relação”, "noivo", “casado”) e publica “relfies” tende a ser visto como um casal feliz. “Em resumo, as pessoas podem perceber a qualidade da sua relação através daquilo que você publica no Facebook e eles percepcionam a sua relação como mais saudável quando você tem uma “relfie” como fotografia de perfil e o 'status' de relacionamento activado”, explica o autor no blogue académico Science of Relationships

Num primeiro estudo, Benjamin Le, psicólogo social cuja investigação se centra nas relações humanas, analisou as páginas do Facebook de mais de 200 pessoas com um relacionamento amoroso, que aceitaram responder a um questionário sobre a relação que mantinham. Resultados? Mais de 25% dos participantes tinham uma relfie como fotografia de perfil e mais de 70% tinham uma relfie na timeline.

No segundo estudo — que pretendia responder à pergunta “Gostamos mesmo de pessoas que publicam coisas sobre a sua relação no Facebook?” —, o autor criou perfis falsos e fez testes com uma série de fotografias e "posts", perguntando a 100 pessoas que impressões as mesmas lhe causavam. Mais uma vez, as pessoas que tinham fotos e status foram julgadas como as que tinham os melhores relacionamentos. Mas atenção, há limites: “Há alguns perigos em tornarem-se demasiado piegas”. Ou seja, demasiadas demonstrações de felicidade podem irritar os amigos.