"Praia do Torel" recebeu 80 mil visitantes

Junta de freguesia diz que a iniciativa foi um sucesso e que vai ser repetida no Verão do próximo ano

Foto
Junta de freguesia promete repetir a iniciativa com novas regras Miguel Manso

Mais de 80 mil pessoas passaram pela chamada "praia urbana" criada no jardim lisboeta do Torel durante o mês de agosto, disse esta segunda-feira o presidente da Junta de Freguesia de Santo António.

No primeiro dia de Agosto foi inaugurada no jardim do Torel, a cerca de cinco minutos da Avenida da Liberdade, uma ‘praia’ com uma zona para ir banhos, através de um lago com profundidade entre 90 centímetros e 1,50 metros (com capacidade total para 50 pessoas e vigiado por dois nadadores-salvadores) e um espaço de 400 metros quadrados com areia para estender a toalha, com 60 chapéus de sol.

De entrada gratuita, a "praia" esteve disponível até 31 de Agosto, oferecendo também actividades físicas, como escalada, ginástica, zumba, tai chi, capoeira, atuações de DJ e cinema ao ar livre.

Segundo o presidente da junta, Vasco Morgado, da parte da manhã o espaço foi mais frequentado por avós, pais e netos e por pessoas que procuravam o sossego do jardim para ler, a maioria moradores da freguesia.
Por seu turno, durante a tarde chegava gente mais jovem, não só da freguesia como também de fora da cidade, como foram os casos de visitantes de um centro de dia de Montemor e de uma junta do Porto, exemplificou, acrescentando que também por ali passaram visitantes de Leiria, do Carregado (Alenquer) e da Costa da Caparica (Almada).

Segundo o autarca disse à Lusa, era também depois de almoço que chegavam turistas de outros países, como Alemanha, Inglaterra e Islândia, já que “os hotéis e as residências da zona davam como ponto de interesse a "praia do Torel”. Vasco Morgado admitiu que se tratou de um “fluxo anormal de pessoas, que não estava previsto”. “Só nos vem dar razão de que ações destas são precisas”, defendeu.

Quanto aos concessionários, que ali tiveram a sua ‘barraca’ de limonadas e de bolas de Berlim, por exemplo, “foi um bom negócio para todos”, considerou Vasco Morgado. Dos 7.400 euros investidos (pagos por patrocinadores), o dinheiro que não foi gasto vai ser usado para fazer reparações na freguesia: já está a ser recuperada a escola básica Luísa Ducla Soares, nomeadamente a fachada, uma das salas de aula e pequenos arranjos urgentes.


Em vista está também um projecto que prevê “alterações de fundo na Praça da Alegria”, com a criação de um quiosque e de um parque infantil, e que já foi entregue à câmara, assinalou. 


Vasco Morgado garantiu que a "praia" vai regressar no próximo ano, mas com novas regras, nomeadamente na entrada para a água, e com mais actividades, que serão realizadas durante todo o dia e não apenas ao final da tarde, como aconteceu este ano.