O calor não amedronta a Bélgica

A selecção de Marc Wilmots vai jogar esta terça-feira contra os EUA, num jogo em que o clima volta a entrar em campo.

Foto
Marc Wilmots não teme que a sua equipa seja afectada pelas condições meteorológicas Paulo Whitaker/Reuters

A Bélgica apurou-se para os oitavos-de-final em primeiro lugar no grupo H, mas o seu desempenho não foi tão incrível quanto poderia ser. Com apenas quatro golos marcados frente à Rússia, Coreia do Sul e Argélia, chega o momento de defrontar os EUA, num jogo que promete pressão e… calor. Até ao momento, a equipa do seleccionador Marc Wilmots nunca realizou jogos em cidades com temperaturas elevadas. A partida desta terça-feira, na Arena Fonte Nova, em Salvador da Bahia, será a estreia.

Apesar do fantasma do clima e da influência que pode ter nos jogadores, o médio Kevin De Bruyne desvalorizou o tema, preferindo dizer que o jogo será “difícil”, mas para as duas selecções. “Cada equipa tem 50% de chances de passar. O jogo não é fácil, mas estamos confiantes e vamos à procura dessa vitória, independentemente das condições [meteorológicas]”, afirmou.

PÚBLICO -
Foto

A selecção de Marc Wilmots tem, neste momento, alguns jogadores lesionados e um suspenso: Defour, que recebeu o cartão vermelho no jogo contra a Coreia do Sul (1-0). Em dúvida para o jogo desta terça-feira estão ainda o defesa Thomas Vermaelen e o capitão da equipa Vincent Kompany (que nem jogou no último jogo da fase de grupos), devido a lesões.

Eden Hazard será uma das apostas que Marc tem na sua equipa. A estrela do Chelsea, depois de uma temporada incrível no clube inglês, vai ser a chave para a selecção belga. “Eden quer fazer mais. Ele pode trazer-nos mais. Todos sabem disso. Então agora eu estou apenas a esperar para ver”, admitiu Wilmots.

Embora as duas selecções se encontrem apenas a dois lugares de diferença no ranking da FIFA, o médio da Bélgica, Dries Mertens, admitiu que ficou surpreso com a qualificação dos EUA para os oitavos-de-final, mas não deixou de elogiar o bom ataque da equipa do alemão Klinsmann. "Como equipa eles são realmente muito bons. Para nós, vai ser muito difícil marcar um golo, mas estamos confiantes e queremos ganhar este jogo também”, referiu. Texto editado por Jorge Miguel Matias