Líderes da UE indicam Jean-Claude Juncker para suceder a Durão Barroso

Os líderes da União Europeia (UE) nomearam Jean-Claude Juncker presidente da Comissão Europeia.

Jean-Claude Juncker afirmou que Atenas tem de tomar medidas adequadas antes de poder receber a ajuda
Foto
Jean-Claude Juncker afirmou que Atenas tem de tomar medidas adequadas antes de poder receber a ajuda Foto: Dominique Faget/AFP

“Decisão tomada. O Conselho Europeu propõe Jean-Claude Juncker enquanto próximo presidente da Comissão Europeia”, afirma o texto de Van Rompuy.

Os líderes da União Europeia (UE) confirmaram esta sexta-feira que Jean-Claude Juncker será o próximo presidente da Comissão Europeia, deixando agora ao Parlamento Europeu a responsabilidade de o confirmar numa votação prevista para 16 de Julho.

A decisão foi tomada durante o almoço dos líderes dos 28 no segundo dia de uma cimeira europeia em Bruxelas. Tudo indica que os  primeiros-ministros do Reino Unido e da Hungria, David Cameron e Viktor Orban, foram os únicos que se opuseram à escolha do ex-primeiro-ministro do Luxemburgo, por causa das suas convicções marcadamente federalistas.

O anúncio do acordo foi feito por Herman van Rompuy, presidente do Conselho Europeu, no Twitter.

“Decisão tomada. O Conselho Europeu propõe Jean-Claude Juncker enquanto próximo presidente da Comissão Europeia”, afirma o texto de Van Rompuy.

Cameron, que empreendeu nas últimas semanas uma cruzada musculada contra a escolha de Juncker, partiu para a cimeira sem quaisquer ilusões de que seria derrotado, mas exigiu que a decisão fosse objecto de uma votação dos líderes para marcar bem a sua posição.

Durante o almoço dos líderes, Cameron avisou que a UE “lamentará o novo processo de escolha do presidente da Comissão”, que foi, de facto, imposto pelo Parlamento Europeu.

Para o líder britânico, igualmente, a escolha de um presidente federalista não ajudará a aproximar o Reino Unido da UE, tendo chegado a ameaçar com a possibilidade de uma saída do país num referendo que conta organizar em 2017.