Felipe VI promete tornar a coroa mais presente na Catalunha

A primeira visita do novo rei de Espanha foi a Girona, na Catalunha, para uma entrega de prémios.

Felipe VI aplaudido no Palácio de Congressos de Girona
Foto
Felipe VI aplaudido no Palácio de Congressos de Girona AFP/JOSEP LAGO

Na sua primeira deslocação à Catalunha enquanto rei de Espanha, Felipe VI procurou transmitir uma “mensagem de respeito, entendimento e convivência” entre as diferentes regiões que compõem o país e sublinhar que é nesses valores que assenta o regime de monarquia parlamentar do país.

Não foi uma referência directa às iniciativas políticas em marcha na região para a realização de um referendo para a autodeterminação, mas para bom entendedor meia palavra basta: Felipe VI considerou que “a colaboração sincera e generosa é a melhor via para responder às legítimas aspirações de cada um e, ao mesmo tempo, de alcançar os grandes objectivos colectivos em benefício do bem comum e do interesse geral”.

O novo rei viajou até Girona para participar na cerimónia de entrega dos prémios anuais distribuídos pela Fundação Príncipe de Girona. Num discurso proferido em castelhano e catalão, deixou claro o seu desejo de “tornar a coroa mais presente” na Catalunha e também de exercer o seu poder de influência para tentar encontrar uma solução para a crise política aberta pelas movimentações nacionalistas na Catalunha.

Foi a sétima deslocação de Felipe de Bourbón à região desde o início do ano: o interesse e assiduidade do monarca na região têm tudo a ver com os desenvolvimentos políticos e a eventual votação da independência marcada para Novembro (um plesbicito que, a avançar, não será reconhecido pelo Governo). Além das visitas, tem mantido contactos com políticos e empresários catalães – o rei não tem poderes constitucionais para intervir na questão da soberania, mas parece claro que está activo em defesa da unidade espanhola.

O seu discurso esta tarde foi repleto de elogios ao povo catalão: Felipe VI mencionou o amor à língua e à cultura como uma grande qualidade, e distinguiu o sentido empreendedor e a capacidade de iniciativa, bem como o espírito reflexivo e crítico, que caracterizam “os homens e mulheres da Catalunha” e que, sublinhou, “contribuíram também para o progresso geral da Espanha no seu conjunto”.

Indiferente à presença de Felipe VI, o parlamento catalão aprovou esta quinta-feira uma moção para que seja convocado um referendo consultivo sobre monarquia ou república. Um grupo de cerca de 500 pessoas manifestou-se contra a visita do rei, num protesto convocado sob o lema “Não ao pacto, não ao rei, o povo catalão é que decide”.

Sugerir correcção