Um editor por dia, um livro por dia

Manuel Alberto Valente, Porto Editora: A Morte Sem Mestre, de Herberto Helder.

Fotogaleria
Manuel Alberto Valente Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
O editor destaca a mais recente obra de Herberto Helder

Depois da licenciatura em Direito, da experiência como advogado, jornalista e escritor, Manuel Alberto Valente, de 68 anos, chegou à edição há 40. Passou pelas editoras Dom Quixote e Asa e em 2008 começou o seu percurso na Porto Editora ajudando “a construir um catálogo de natureza literária”, quando esta era uma “editora praticamente escolar”, relembra.

É autor de quatro livros de poesia e editor de Luís Sepúlveda, Mário de Carvalho, João Pedro Marques e, mais recentemente, da obra de José Saramago. Tendo em conta a “qualidade dos livros”, procura obras que possam agradar à maioria dos leitores. “Tento não ser um editor elitista, mas ter uma visão democrática da edição: procuro trabalhar para os leitores muito cultos, mas também para os que procuram apenas o entretenimento”, explica.

Para a Feira do Livro, destaca a mais recente obra de Herberto Helder, A Morte Sem Mestre, à venda desde segunda-feira. Pensado apenas para uma edição e incluindo um CD com cinco poemas ditos pelo autor, este é o primeiro livro do poeta a ser publicado com a chancela Porto Editora. Para Manuel Alberto Valente, é “o mais importante” a ser publicado por esta editora e em toda a feira. “É mais um livro que consagra o autor como um grande nome da poesia contemporânea. Este livro é um acontecimento literário”, diz.

Texto editado por Luís Miguel Queirós