Mykki Blanco está numa residência artística na ZDB, em Lisboa DR
Foto
Mykki Blanco está numa residência artística na ZDB, em Lisboa DR

Rapper Mykki Blanco detido em Lisboa: homofobia ou “resistência à autoridade”?

Norte-americano diz ter sido detido em Lisboa por ser gay. "Resistência a agente da autoridade", contrapõe a PSP. Rapper foi ouvido no TIC e multado

O rapper norte-americano Mykki Blanco foi, esta segunda-feira, detido pela PSP no Aeroporto de Lisboa. Se o próprio, no seu Facebook, relata uma situação de homofobia como motivo para a detenção, a Polícia de Segurança Pública, através do gabinete de relações públicas do Comando Metropolitano de Lisboa, alerta que o rapper terá sido detido por "resistência a agente", tendo sido posteriormente multado.

No Facebook, Mykki, que se encontra numa residência artística na Galeria Zé dos Bois (ZDB), descreveu o sucedido, num post em que escreve "I'M being arrested in Portugal for being gay" (Estou a ser preso em Portugal por ser gay). No aeroporto, terá perguntado várias vezes a um polícia onde poderia comprar um voucher para táxis [bilhete pré-pago], já que não dispunha de dinheiro para pagar o serviço, apenas cartão de crédito. Em resposta, o agente terá dito que não sabia e que não o poderia ajudar.

Entretanto, uma mulher portuguesa "muito simpática" terá intervindo na conversa, dando outra informação ao artista: "Eu não sei o que se passa com ele. Pode comprar um voucher lá dentro." Mykki, por seu turno, dirigiu-se ao polícia, perguntando-lhe por que razão não o ajudava. O agente disse-lhe para se ir embora, mas o artista insistiu: "O seu trabalho é ajudar as pessoas e recusou ajudar-me." Aí, o polícia terá retorquido: "Eu disse para te ires embora, bicha (I said go away bicha)". "Fuck you", foi a resposta de Mykki Blanco, que terá sido depois detido, publicando na rede social várias fotos dos agentes.

Versão diferente tem a PSP. Em declarações ao P3, o gabinete de relações públicas do Comando Metropolitano de Lisboa sublinha que Mykki terá sido detido por "resistência a agente da autoridade". O artista não terá respeitado a fila de táxis, "perturbando a ordem". O agente ter-lhe-á pedido para aguardar na fila e o artista tê-lo-á injuriado. O artista foi ouvido no Tribunal de Instrução Criminal (TIC) e multado, segundo informações da ZDB.

Mykki Blanco é uma figura de proa do queer rap, assumindo a sua homossexualidade num meio em que, tradicionalmente, reina a homofobia. É o alter-ego artístico, a versão feminina, de Mikey Quattlebaum Jr., que muitas vezes se refere a si próprio no feminino. Em 2012, em entrevista ao PÚBLICO, a propósito desta dicotomia, dizia: "Mykki sou eu, não é assim tão distinto de mim — até porque no dia-a-dia eu visto-me com roupas de mulher." Na quarta-feira, 21 de Maio, apresenta na ZDB a performance “Baby Steps: How to Heal Yourself From Everyday Psychic Poisons or Repentance for Dummies”, a conclusão da residência artística de um mês.

Artigo actualizado às 10h21 de 20 de Maio.