Anonymous atacam site dos socialistas europeus e revelam contactos de deputados portugueses

Fonte do PS confirmou que o site está em baixo. Grupo de hackers que já tinha atacado o site da Procuradoria de Lisboa recentemente reivindicou o ataque no Facebook.

Em lugares públicos, a máscara identifica apoiantes do grupo Anonymous
Foto
Em lugares públicos, a máscara identifica apoiantes do grupo Anonymous Michael Gottschalk/AFP

O site na Internet do grupo dos socialista portugueses no Parlamento Europeu (PE) foi atacado esta sexta-feira e continuava ainda inactivo à hora da publicação desta notícia. O ataque foi reivindicado no Facebook pelo Sud0h4k3rs, um grupo ligado ao universo dos Anonymous e que já havia estado envolvido no ataque recente à página da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

Durante o ataque, que terá ainda conseguido aceder ao servidor em que está alojado o site, os piratas informáticos conseguiram ainda obter os contactos de telefone de 38 deputados e ex-deputados portugueses de todos os partidos. Actualmente, Portugal está representando por 22 deputados no Parlamento Europeu.

O PÚBLICO tentou, sem sucesso, contactar vários deputados através desses números que, indicou o assessor de um dos deputados, serão profissionais apenas. Na lista que os hackers publicaram na Internet, surgem ainda outros dados como o e-mail, o número de deputado, os cargos exercidos, e as delegações e comissões a que pertencem.

Fonte oficial do PS confirmou ao PÚBLICO ter tido, entretanto, conhecimento de que o site estava em baixo e poderia ter sido atacado, mas sublinhou ter dúvidas sobre se a autoria do ataque teria sido dos Anonymous. A mesma fonte reencaminhou as questões do PÚBLICO para a delegação socialista junto do PE que, entretanto, não respondeu.

Os piratas terão conseguido fazer a alteração da face da homepage, designada normalmente por “defacement”, apesar de à hora da publicação deste artigo, a página aparecer com fundo branco e com a informação de que “o site está temporariamente impedido” por ter atingido o “limite de banda larga”.

Inicialmente, os hackers publicaram uma mensagem, cujo fundo apresentava a imagem da cara mascarada conotada com os Anonymous. “Saudações Portugal e restante mundo. Nós somos Anonymous. Os políticos dão-nos a sensação que temos poder de escolha, mas esse poder de escolha não existe. Continuam a pensar que são os nossos donos. Não são. Queremos o estabelecimento de uma sociedade verdadeiramente democrática", diz a mensagem dos hackers.

Sugerir correcção