Granta, em casa

Foto

Nas livrarias a 23 de Maio – mas chega antes a casa dos assinantes

“Todos temos uma história pessoal para contar a partir das casas que habitámos. Mas também a partir daquelas sobre as quais lemos e que imaginamos. É esse o desafio do terceiro número da Granta”, escreve Carlos Vaz Marques, director da revista literária em Portugal no texto que abrirá este número cujo tema é “Casa” e que estará nas livrarias a 23 de Maio mas chega antes a casa dos seus assinantes.

Tal como tem acontecido nas edições anteriores esta Granta terá um ensaio fotográfico, intitulado Intimidade, que tal como a capa que aqui reproduzimos, é da fotógrafa portuguesa Luísa Ferreira. O portfólio tem como epígrafe dois versos de Ruy Belo: “Só as casas explicam que exista /uma palavra como intimidade”.

Além disso este terceiro número traz um inédito de Ruy Belo, “um texto narrativo em prosa, contextualizado por um estudo da investigadora brasileira Manaíra Aires Athayde, da Universidade de Coimbra, que está a investigar a obra dele”, explica Vaz Marques.

A escritora portuguesa Hélia Correia continua a desenrolar a ficção em torno de Laura, a personagem que criou no primeiro número desta revista, e entre os autores estrangeiros destacam-se textos de Haruki Murakami e de Paul Theroux.

Uma das apostas para esta edição, diz Carlos Vaz Marques, é a “fotonovela borgesiana” escrita pelo dramaturgo Tiago Rodrigues, fotografada por João Gambino e a que dão corpo os actores Isabel Abreu e Tónan Quito. Há um making of e o vídeo vai estar disponível no site do PÚBLICO.

O terceiro número da revista terá direito a festa de lançamento: a 27 de Maio na Casa Independente, no Intendente, em Lisboa.