Polícia fez segurança em casamento para prevenir aparecimento do homicida de Valongo dos Azeites

Caçador que matou a sogra, a tia da ex-mulher e feriu a filha e a antiga companheira continua em fuga e terá uma lista de 12 alvos a abater. Noivos testemunharam contra ele num processo por violência doméstica.

Foto
A GNR mantém um efectivo de cerca de 50 homens a bater a localidade Paulo Pimenta

Equipas da GNR e da Polícia Judiciária (PJ) estiveram na manhã deste sábado bem atentas a um casamento que se realizou em Penedono, distrito de Viseu. Em causa está o facto de o homem que na quinta-feira baleou quatro mulheres em Valongo dos Azeites, São João da Pesqueira, Viseu, ter alegadamente uma lista de 12 alvos a abater e os noivos terem testemunhado contra ele num processo de violência doméstica. A informação foi adiantada ao PÚBLICO por fonte policial.

As autoridades estabeleceram então um perímetro de segurança em redor da Igreja de Santa Eufémia, mas não se verificaram sinais da eventual ameaça representada pelo caçador Manuel Baltazar, de 61 anos, que está há três dias em fuga. Penedono fica a cerca de 11 quilómetros de Valongo dos Azeites.

Na quinta-feira, Manuel Baltazar matou a ex-sogra e a tia da ex-mulher, ferindo também a filha e antiga companheira. Cortou a pulseira electrónica que lhe controlava os movimentos e que lhe fora colocada no âmbito do processo por violência doméstica e fugiu.

Segundo fonte policial, o caçador — que tem um vasto conhecimento geográfico da localidade — continuará armado. A polícia já recebeu várias informações sobre a sua possível localização que, contudo, até agora não resultaram na sua detenção.

Horas depois dos disparos, a PJ e GNR dirigiram-se à sua habitação em Trevões, Valongo dos Azeites para descartar a possibilidade de ele lá estar. Cercaram a casa, mas a operação táctico-policial terminou com a descoberta de que o caçador não se encontrava lá.

A polícia já afastou também a hipótese de o fugitivo se encontrar abrigado em alguma casa de Valongo dos Azeites, mas está convicta de que estará nas imediações desta localidade.

A GNR mantém um efectivo de cerca de 50 homens a bater a localidade. Nas buscas estão ainda incluídos cães daquela força policial. Neste momento, as autoridades tentam blindar as informações de que dispõem para que eventuais notícias na comunicação social não prejudiquem as buscas dando ao fugitivo algumas dicas.

Segundo adiantou nesta tarde de sábado a SIC Notícias, Manuel Baltazar terá sido avistado na sexta-feira numa propriedade em Penedono onde terá procurado refúgio no barracão pertencente a um amigo que, depois de Baltazar voltar a desaparecer, avisou as autoridades.