A Vida de Adèle e Gravidade são os melhores de 2013 para os críticos online portugueses

Segunda edição dos prémios do Círculo de Críticos Online Portugueses.

Léa Seydoux em Cannes
Foto
Léa Seydoux em Cannes afp

Os Óscares já ficaram para trás e coroaram 12 Anos Escravo, de Steve McQueen, apesar de terem dado mais prémios a Gravidade, de Alfonso Cuarón. O Círculo de Críticos Online Portugueses acabou também aparentemente dividido – o filme de Cuarón foi o que os críticos de sites de cinema portugueses mais premiaram em número, mas o filme de 2013 é mesmo A Vida de Adèle: Capítulos 1 e 2, de Abdellatif Kechiche. Em português, a escolha foi para A Última Vez Que Vi Macau , de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata.

As escolhas, reveladas esta semana, são a segunda eleição desde círculo fundado em Fevereiro de 2012 e que reúne críticos de cinema que publicam em sites como o Split Screen, a revista Umbigo ou tvPrime e Magazine HD. O prémio mais importante, o de Melhor Filme do ano, foi então para a Palma de Ouro da edição de 2013 do Festival de Cannes - o romance entre Léa Seydoux e Adèle Exarchopoulos sob o olhar do tunisino Abdellatif Kechiche foi uma das grandes ausências das nomeações para os Óscares (e mesmo da sua shortlist), apesar dos créditos acumulados desde a sua passagem pela Croisette e dos elogios de críticos por todo o mundo. A Vida de Adèle: Capítulos 1 e 2 foi ainda distinguido pelo argumento adaptado. Gravidade

recebeu o reconhecimento do Círculo de Críticos Online Portugueses em cinco categorias distintas – além do prémio de melhor realizador, que coincide também com as escolhas da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, foram atribuídos os prémios de Melhor Sequência, Melhor Fotografia, Melhores Valores de Produção e Melhores Efeitos Especiais.

Tanto A Vida de Adèle: Capítulos 1 e 2 quanto Gravidade são filmes de 2013, mas o círculo premiou ainda um filme que data de 2012 mas que só em 2013 se estreou em Portugal: um outro olhar sobre a escravatura, o de Quentin Tarantino em Django Libertado, foi distinguido por ter o Melhor Argumento Original, Melhor Actor Secundário (Christoph Waltz) e Melhor Elenco. Os prémios deste círculo são exactamente dedicados aos “melhores filmes estreados comercialmente em Portugal durante o ano transacto”.

Por isso mesmo, o prémio de melhor actor foi para Daniel Day-Lewis por Lincoln, de Steven Spielberg, escolha que coincide também com a dos Óscares de 2013. A melhor actriz é Cate Blanchett, por Blue Jasmine, de Woody Allen, e a melhor actriz secundária é Léa Seydoux. Na animação, foram galardoados Frozen - O Reino do Gelo, de Chris Buck e Jennifer Lee, e Rugas, de Ignacio Ferreras. O filme que não é falado em inglês nem em português foi o dinamarquês A Caça, de Thomas Vinterberg (Dinamarca) e o melhor documentário À Procura de Sugar Man, de Malik Bendjelloul.