Emigrantes africanos vistos pelo fotojornalista John Stanmeyer são a foto do ano World Press Photo

Fotogaleria
John Stanmeyer ganhou o Grande Prémio de 2013 John Stanmeyer
Fotogaleria
Primeiro prémio individual notícias de actualidade: Sobreviventes do tufão Hayan nas Filipinas - por Philippe Lopez, França, Agence France-Presse
Fotogaleria
Segundo prémio individual notícias de actualidade: Atentado na maratona de Boston, por John Tlumacki, EUA, "The Boston Globe"
Fotogaleria
Terceiro prémio individual notícias de actualidade: sismo no Bangladesh, por Taslima Akhter, Bangladesh, Pathshala
Fotogaleria
Primeiro prémio reportagem de actualidade: rebeldes sírios em Damasco, por Goran Tomasevic, Serbia, Reuters
Fotogaleria
Segundo prémio reportagem de actualidade: tiroteio em centro comercial em Nairobi, por Tyler Hicks, EUA, "The New York Times"
Fotogaleria
Terceiro prémio reportagem de actualidade: colapso de edifício no Bangladesh, por Rahul Talukder, Bangladesh, Bangladesh Sangbad 71
Fotogaleria
Primeiro prémio notícias individual: centro de refugiados sírios na Bulgária, Alessandro Penso, Itália, OnOff Pictures
Fotogaleria
Segundo prémio notícias individual: um fabricante de bombas em Aleppo, na Síria, por Moises Saman, Espanha, Magnum Photos
Fotogaleria
Terceiro prémio notícias individual: condenado a enforcamento chora no ombro do seu carrasco no Irão, por Amir Pourmand, Irão, ISNA/The Associated Press
Fotogaleria
Primeiro prémio notícias reportagem: linha costeira destruída pelo tufão Hayan nas Filipinas, por Chris McGrath, Austrália, Getty Images
Fotogaleria
Segundo prémio notícias reportagem: luto por vítima da violência na República Centro Africana, por William Daniels, França, Panos Pictures for Time
Fotogaleria
Terceiro prémio notícias reportagem: falhas de electricidade em Gaza, por Gianluca Panella, Itália
Fotogaleria
Primeiro prémio individual desporto: jóquei cai do seu cavalo em Buenos Aires, por Emiliano Lasalvia, Argentina, "La Nacion"
Fotogaleria
Primeiro prémio reportagem desporto: ginasta chinês no National Athletic Meet de Shenyang, por Jia Guorong, China, China News Service
Fotogaleria
Primeiro prémio feature individual de desporto: corrida de trenós Grande Odyssee em França, por Jeff Pachoud, França, Agence France-Presse
Fotogaleria
Primeiro prémio feature história: o recorde no heptatlo da sueca Nadja Casadei, diagnosticada com cancro, por Peter Holgersson, Sweden
Fotogaleria
Primeiro prémio reportagem Temas Contemporâneos: violência doméstica, por Sara Lewkowicz, EUA, "Time"
Fotogaleria
Primeiro prémio individual vida quotidiana: combatentes do Kachin Independence Army na Birmânia, por Julius Schrank, Alemanha, "De Volkskrant"
Fotogaleria
Primeiro prémio reportagem vida quotidiana: as roupas dos desaparecidos, por Fred Ramos, El Salvador, "El Faro"
Fotogaleria
Primeiro prémio retrato: o adeus a Nelson Mandela, por Markus Schreiber, Alemanha, Associated Press
Fotogaleria
Primeiro prémio retrato encenado: albinos cegos em Vivekananda, na Índia, por Brent Stirton, África do Sul, Getty Images
Fotogaleria
Primeiro prémio individual natureza: um tipo de raposa do deserto, espécie ameaçada, na Tunísia, por Bruno D'Amicis, Itália

O júri do mais importante concurso de fotojornalismo do mundo, o World Press Photo, escolheu um trabalho do fotógrafo norte-americano John Stanmeyer para o Grande Prémio de 2013 - a imagem mostra um grupo de emigrantes africanos que, de telemóveis erguidos para o céu e à luz da lua, tentam a partir da costa do Djibuti encontrar a rede somali, mais barata, para poderem falar com os seus familiares.

Intitulada Signal, a imagem data de 26 de Fevereiro e foi publicada na revista National Geographic. John Stanmeyer, segundo a nota biográfica fornecida pelo júri do prémio, trabalha quase exclusivamente com a conceituada publicação norte-americana na última década, mas fez fotografia também para a revista Time entre 1998 e 2008, tendo fotografado a guerra no Afeganistão ou a luta pela independência em Timor-Leste. Foi responsável por 18 capas da emblemática revista americana.

Como contextualiza o júri, o Djibuti é um ponto de paragem comum para aqueles que viajam por África entre países como a Somália, a Etiópia e a Eritreia “em busca de uma vida melhor” noutras regiões ou continentes como a Europa ou o Médio Oriente. Além do grande prémio da organização, que distingue assim a foto do ano, a imagem de Stanmeyer venceu também o primeiro prémio da categoria de Temas Contemporâneos.

A polissemia da imagem em causa é o elemento mais destacado pelos membros do júri ao explicar a sua escolha para o grande prémio World Press Photo – o jurado norte-americano David Guttenfelder classifica-a mesmo como “uma mensagem numa garrafa”. “É uma fotografia que está ligada a tantas outras histórias – abre discussões sobre tecnologia, globalização, migração, pobreza, desespero, alienação, humanidade. É uma imagem muito sofisticada e poderosamente matizada”, disse na conferência de imprensa Jillian Edelstein, um dos membros do júri, sobre a imagem Signal.

O júri de 19 profissionais do fotojornalismo e documentário, que se debruçou durante duas semanas sobre as imagens candidatas, procura na imagem vencedora “a mesma qualidade que procuraríamos num grande filme ou na literatura – a impressão de que existe em mais do que um nível, que nos faz pensar sobre coisas em que não tínhamos pensado”, diz Susan Linfield, também jurada, que descreve a fotografia do ano como “digna”.

Nas categorias de actualidade, o ano de 2013, visto pelas lentes de fotojornalistas de 25 países segundo a escolha da World Press Photo, foi marcado pelas catástrofes naturais como o tufão Hayan e os seus efeitos devastadores nas Filipinas em Novembro (foto vencedora na categoria de actualidade, por Phillipe Lopez, da AFP ) ou o sismo de Abril no Bangladesh, mas também pelas tensões agudizadas em regiões do globo como o Médio Oriente ou Estados Unidos. Nos EUA, destaca-se o atentado perto da meta da maratona de Boston em Abril; já a situação na Faixa de Gaza continua a ser motivo de reportagem por jornalistas de todo o mundo, bem como, num crescendo mortal em 2013, a guerra civil na Síria, fotografada pelo sérvio Goran Tomasevic para a agência Reuters numa série premiada na categoria de reportagem de actualidade.

Os prémios, atribuído pela fundação homónima com sede em Amsterdão desde 1955, distribuem-se por nove categorias em que são distinguidos os três primeiros prémios. Este ano, foram atribuídos a 53 fotógrafos entre 98.671 imagens candidatas, submetidas à apreciação do júri por 5754 fotógrafos de 132 países. A polémica gerada no ano passado sobre se a foto do grande prémio tinha ou não sido manipulada fez com que nesta edição as regras se tenham alterado, sendo os autores das imagens a concurso obrigados a enviar também os ficheiros originais e não tratados das fotografias em causa, ou os negativos, em caso de ser usado filme. O vencedor recebe 10 mil euros de prémio, além de uma máquina e um conjunto de lentes, e os distinguidos com os primeiros prémios em cada categoria recebem 1500 euros.

As fotografias premiadas estarão durante um ano a viajar pelo mundo na exposição itinerante que mostra os melhores trabalhos de 2013 de fotojornalistas de várias nacionalidades. O ponto de partida da exposição é Amesterdão, inaugurada a 18 de Abril. Depois, parte para cem cidades em 45 países.  

Lista completa dos vencedores aqui.