Woody Allen reage às acusações de alegado abuso sexual

O agente do cineasta disse que o realizador irá responder “muito em breve” de forma mais detalhada a estas acusações.

Foto

“Woody Allen leu o artigo [de Dylan Farrow] e considera-o falso e vergonhoso”, disse o agente do cineasta, Leslee Dart, horas depois da publicação, no domingo, da carta aberta da filha adoptiva, de 28 anos, num blogue do jornal New York Times, como foi amplamente noticiado ontem.

Na carta, Dylan Farrow acusa-o de agressões sexuais quando ela era criança. O agente do cineasta disse ainda que Allen irá responder “muito em breve” a estas acusações e de forma mais detalhada, recordando que nunca foram apresentadas provas neste caso, porque a investigação independente não encontrou nada.

“Os peritos concluíram que não havia provas credíveis de agressão sexual, e que Dylan Farrow não conseguia distinguir entre fantasia e realidade, e provavelmente teria sido induzida a fazer as acusações pela mãe, Mia Farrow”, disse ainda o agente de Allen.

Woody Allen, de 78 anos, que deixou Mia Farrow após começar uma relação com a filha adoptiva da actriz, de outro casamento, Soon-Yi Previn, negou sempre ter agredido sexualmente Dylan Farrow, como nesta entrevista à revista Time, em 2001.

A carta de Farrow, conta em pormenores o alegado assédio do realizador, que supostamente teria ocorrido no início dos anos 1990 do século passado. Quem também é referida na carta é a actriz Cate Blanchett, protagonista principal do último filme de Allen, Blue Jasmine, com Dylan Farrow a perguntar: "E se tivesse sido um filho teu, Cate Blanchett?"

A actriz, que este fim-de-semana esteve no festival americano de Santa Barbara, afirmou à imprensa, citada pelo The Guardian, que "é obviamente uma situação longa e dolorosa para a família, e espero que encontrem alguma paz".

Há uma semana o realizador Robert Weide, autor de um documentário sobre Allen para a série American Masters, publicou um longo artigo na publicação digital Daily Beast, que se viria a tornar viral, apontando aquilo que, no seu entender, são as muitas contradições do caso.