Quem são os melhores jovens escritores de língua portuguesa?

Encontrar os mais promissores escritores da língua portuguesa, eis o objectivo de um concurso lançado pela revista Granta.

Foto

A revista Granta inicia em Fevereiro um concurso internacional para escolher "os mais talentosos e promissores escritores de língua portuguesa", com menos de 40 anos, disse Bárbara Bulhosa, da Tinta-da-China, que edita a publicação.

A Granta portuguesa é editada desde o ano passado, sob a direção do jornalista Carlos Vaz Marques e, segundo a editora, "é considerado o caso de maior sucesso entre as edições internacionais da Granta".

O título, que remonta ao final do século XIX, quando foi lançado por estudantes de Cambridge, regressou aos escaparates britânicos em 1979, com um novo "rosto", periodicidade trimestral e o objectivo de apoiar novos autores, no que passou a considerar a "nova escrita".

Desde 1983, de dez em dez anos, publica um número especial dedicado aos Melhores Jovens Escritores Britânicos, com menos de 40 anos.

"Esta iniciativa prenuncia os autores que irão destacar-se no futuro, cauciona o seu trabalho literário e, envolta em grande secretismo, é sempre aguardada com muita expectativa e recebida com enorme cobertura mediática", explicou Bárbara Bulhosa.

A Granta Portugal segue os passos da "revista mãe", e o seu quinto número, a publicar em Maio de 2015, será a primeira edição especial dedicada aos Melhores Jovens Escritores de Língua Portuguesa.

Os originais de autores nascidos após 1 de Maio de 1975, em qualquer dos oito países lusófonos, podem ser recebidos a partir do próximo dia 1 de Fevereiro e até 1 de Julho.

Os concorrentes devem enviar um texto literário inédito - conto ou excerto de romance -, que não exceda os 50.000 caracteres, nem tenha menos de 10.000, explica o regulamento hoje divulgado.

O texto não pode ter sido publicado anteriormente, em nenhum meio, seja impresso ou electrónico, e deverá permanecer inédito até à publicação da Granta Portugal, com os autores seleccionados, segundo o mesmo documento.

Estão excluídos do concurso, ensaios, textos dramatúrgicos e poesia. Enviado o material, "o autor não poderá fazer qualquer tipo de acrescento ou revisão ao texto já entregue", exige o regulamento que determina que é "aceite apenas um volume - envelope ou pacote - por autor".

Além do texto inédito, o autor também poderá enviar material complementar - livros de sua autoria, publicados ou inéditos, textos de ficção publicados em antologias, jornais, revistas ou meios electrónicos -, que "poderá servir como informação adicional, mas não será o critério central a avaliar para publicação", explica o documento.

A comissão de leitura que vai avaliar os textos será composta por cinco elementos e presidida pelo director da Granta. A revista será a detentora dos direitos de reprodução dos textos selecionados, tanto para a edição de língua portuguesa como para uma posterior edição em língua inglesa.