Túmulo de produtor de cerveja descoberto em Luxor

Uma parede do túmulo mostra o chefe cervejeiro, também chefe das reservas reais, a fazer oferendas aos deuses.

Foto
Uma das fotografias divulgadas pelo Ministério das Antiguidades Egípcio Ministério das Antiguidades Egípcio

Uma equipa de arqueólogos japoneses descobriu o túmulo de um produtor de cerveja da dinastia Ramsés, que governou o Egipto há 3.200 anos, divulgou na sexta-feira o Ministério de Antiguidades egípcio.

A descoberta do túmulo de Khonsuemheb “é uma das mais importantes (...) na necrópole de Tebas”, em Luxor, cidade do sul do país famosa pelos templos faraónicos do Nilo e que alberga o famoso complexo de templos construído por Amenófis III e mais tarde por Ramsés II, anunciou o ministro das Antiguidades egípcio, Mohamed Ibrahim em comunicado.

Foi por um acaso que aconteceu esta descoberta. O arquélogo Jiro Kondo, à frente da missão da Universidade japonesa de Waseda naquela localidade egípcia, explicou que sua equipa descobriu este túmulo “ao limpar o pátio de uma tumba pertencente a um alto funcionário durante o reinado de Amenófis III”, que morreu em 1354 A. C. 

O ministro egípcío destacou a presença de “paisagens desenhadas e várias inscrições nas paredes e tecto (...) que revelam muitos detalhes da vida quotidiana no antigo Egipto”, incluindo a relação entre este cervejeiro, a sua mulher e os filhos, e ainda os rituais religiosos que praticavam.

“Uma parede mostra o chefe cervejeiro, também chefe das reservas reais, a fazer oferendas aos deuses, rodeado pela esposa e pela filha”, explica. Ao jornal egípcio al-Ahram, Mohamed Ibrahim disse ainda que a segurança à volta do local onde foram agora encontrados os vestígios e decorrem escavações foi aumentada até que o trabalho dos arqueológos esteja terminado.

Notícia corrigida no dia 8/01 às 18h02: Corrigido o nome Khonsuemheb

Sugerir correcção