[Phil H]/Flickr
Foto
[Phil H]/Flickr

Megafone

"Class of 92": um documentário sobre futebol, política e música

David Beckham, Nicky Butt, Paul Scholes, Ryan Giggs e os irmãos Neville, Gary e Phil são as estrelas do documentário

Três palavras que, aparentemente, apresentam uma curta ou desajustada conexão e interligação. O documentário "Class of 92", lançado a 1 de Dezembro, retrata o quotidiano de seis jovens que jogaram no Manchester United entre 1992 e 1999 e que revolucionaram por completo o futebol inglês e mundial.

David Beckham, Nicky Butt, Paul Scholes, Ryan Giggs e os irmãos Neville, Gary e Phil são as estrelas do documentário e partilham a sua experiência no futebol e as suas perspetivas pessoais acerca deste período, que conheceu tantas mudanças quer em Manchester quer no país.

O documentário retrata o dia-a-dia destes seis jovens ao longo de sete anos; permite acompanhar a sua evolução desde os escalões de formação do clube, onde juntos venceram diversas competições enquanto juvenis e juniores, até à equipa principal do clube, comandada por Sir Alex Ferguson, que venceu o campeonato e a taça de Inglaterra e a Liga dos Campeões de 1999, 

O documentário assume importância devido ao testemunho em primeira mão dos seis jogadores, revelando o que sentiam dentro e fora de campo. Desde Ryan Giggs, que com 40 anos ainda joga na equipa principal do clube, e que descreve o ambiente positivo e a oportunidade que estes jovens tiveram para crescer quando ocorreu a sua entrada na equipa, a David Beckham, já reformado, que confessa a admiração que tem pelos seus colegas e amigos e destaca a forte amizade que construíram, bem como a alegria que sentia ao jogar ao lado dos seus colegas de equipa.

Para além disto, ficamos a conhecer uma perspetiva social e política da época, dando especial relevo ao grande número de mudanças que ocorreram. O documentário destaca a importância desta geração, tanto dentro como fora de campo, revolucionando as tendências da época; retrata as diversas mudanças sociais e políticas da época. Como refere Gary Neville: "A música estava a mudar, a política estava a mudar e o futebol estava a mudar".

Por fim, os testemunhos pessoais de diversas figuras da época, ligadas não só ao mundo do futebol como à música e à política, tornam mais interessante e cativante o documentário. Personalidades como Eric Cantona, ou até mesmo o ex-primeiro-ministro Tony Blair e o guitarrista dos Stone Roses, Mani, reforçam o impacto desta geração de jogadores na sociedade britânica e não só.