Intérprete de língua gestual das cerimónias de Mandela acusado de fraude

Indivíduo limitava-se a abanar os braços, dizem.

Foto

As associações de surdos-mudos da África do Sul acusaram nesta quarta-feira de fraude o intérprete de língua gestual que acompanhou as cerimónias fúnebres de Nelson Mandela transmitidas pela televisão na terça-feira.

Cara Loening, directora do Centro Educativo e de Desenvolvimento de Linguagem Gestual da Cidade do Cabo disse à France Presse que o intérprete "é uma fraude completa".

"Ele não fez nada, não se viu nem sequer um gesto. Limitava-se apenas a abanar os braços", disse Loening, acrescentando que o intérprete que traduziu para língua gestual o discurso do Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, "parecia que estava a espantar moscas da cara e da cabeça".

"A comunidade de surdos-mudos da África do Sul sente-se ultrajada. Ninguém sabe quem é o intérprete", disse ainda Loening, que lamentou não se saber a identidade da pessoa que fingia estar a fazer a tradução.

"Não encontramos o nome nem nada. Os organizadores que registam os intérpretes não o conhecem", afirmou.

Os organizadores governamentais, assim como a estação SABC, que transmitiu a cerimónia, ainda não prestaram qualquer esclarecimento.

Delphin Hlungwane, porta-voz da Federação dos Surdos da África do Sul, disse também à AFP que a pessoa se "limitava a fazer gestos no ar".

A mesma responsável disse também que os espectadores a nível mundial também não perceberam nada.

"É uma situação embaraçosa e um desrespeito pela comunidade dos surdos e por Nelson Mandela, que sempre apoiou a nossa comunidade", concluiu.