Câmara de Sintra vai recuperar hotel centenário no centro histórico

O antigo Hotel Netto vai ser recuperado e transformado num hostel. Decisão foi aprovada ontem em reunião de câmara.

A Câmara de Sintra decidiu nesta terça-feira exercer o direito de preferência na compra do antigo Hotel Netto, afastando a possibilidade de ser a Parques de Sintra Monte da Lua, empresa da qual é accionista, a adquirir o imóvel.

A decisão foi aprovada em reunião de câmara com sete votos a favor do PS, PSD e CDU e quatro contra do movimento Sintrenses com Marco Almeida. A confirmar-se, uma vez que necessita ainda de aprovação em assembleia municipal, o imóvel será adquirido por 600 mil euros à cadeia de Hotéis Tivoli SA.

De acordo com um comunicado da autarquia, o investimento aprovado vai possibilitar “a recuperação de um hotel histórico com a sua transformação num hostel dirigido essencialmente à juventude”. Para isso, a câmara pretende realizar obras de recuperação do edifício, que se encontra devoluto e muito degradado há algumas décadas.

Até agora, ainda não há previsões do montante que será aplicado na reconversão do edifício. No entanto, de acordo com o município, a obra vai ser financiada com a ajuda de apoios comunitários e será terminada até ao final do mandato de quatro anos agora iniciado.

O Hotel Netto é um edifício do século XIX, situado no centro histórico da vila, conhecido por ser um dos locais de eleição do escritor Ferreira de Castro, que aí escreveu parte da sua obra.

A intenção de recuperar este edifício não é nova e já vinha do mandato anterior. Desde Setembro de 2012 que a empresa Parques de Sintra Monte da Lua (PSML), manifesta vontade de comprar o imóvel, exactamente com o intuito de o transformar num hostel.

“O nosso único interesse era remover a ruína da proximidade do Palácio da Vila. Se a câmara quer fazer isso, alivia-nos desse dever”, disse à Lusa António Lamas, presidente da PSML, empresa que gere o Palácio Nacional de Sintra, exactamente ao lado do edifício do Hotel Netto, que, por sua vez se encontra em frente ao Hotel Tivoli.

A Câmara de Sintra afirma ter agido “em nome dos interesses dos munícipes” e não afasta a hipótese de ser a PSML a gerir o hostel, uma vez que este poderá ser concessionado no futuro.