PZ imaginou uma miúda com Cara de Chewbacca

É fã de ficção científica, gosta de sons galácticos e criou a história de uma miúda que é “inteligente e diferente” mas tem um pequeno defeito — a Cara de Chewbacca. Paulo Zé Pimenta (ou PZ) não esperava as milhares de visualizações

“É fixe, é boa, decente e não fuma crack à toa. Não mente, é inteligente e diferente, mas tem cara de Chewbacca.” Com direito a sotaque do Porto e a passeio pelos jardins do Cais de Vila Nova de Gaia (selfies tiradas com o telemóvel incluídos), o vídeo de Cara de Chewbacca, de PZ e DB, tem feito sucesso na Internet.

Primeiro nasceu a música de DB, Onde Está Gaiolin, que PZ foi convidado a ouvir. Gostou do instrumental e, inspirado pelo álbum [Retro]Activo — cuja capa tem uma montagem de um rapper com cara de Chewbacca —, começou a pensar num novo tema. O refrão veio a seguir, conta ao P3.

Paulo Zé Pimenta, músico portuense de 33 anos, criou, então, uma história para essa miúda, “um bocado feia demais”. “Inspirei-me naquelas mulheres com quem nos cruzamos na rua mas que, apesar de parecerem perfeitas, têm sempre um defeito”, brinca. “Tu és tudo o que eu quero ter, do pescoço para baixo”, continua a letra.

PÚBLICO -
Foto
Paulo Zé Pimenta tem 33 anos e é um dos fundadores da editora independente Meifumado Ana Marques Maia

A máscara chegou via Amazon — “custou 70 euros, todo o orçamento para o videoclipe” — e foi usada por Gabriela Gonçalves, prima do músico, artista plástica e Chewbacca por uns dias. Tem aulas de danças africanas, o que explica o aparente talento natural que a personagem mostra, e teve de apanhar o cabelo da máscara para se conseguir mexer em condições.

No fim de Setembro, Gabriela e Paulo Zé passaram vários dias na gravação do vídeo. O primeiro take a ser gravado foi o da varanda — onde o P3 também o entrevistou — e seguiram-se as outras cenas. A parte do quarto foi filmada na casa da tia do músico e o passeio pelo Cais de Gaia levou um dia a concluir, entre muitos risos.

Mais de 47 mil visualizações

PZ, fã de ficção científica e, claro, da saga da Guerra das Estrelas — O Império Contra Ataca é o episódio favorito e Jawa e Han Solo as personagens de eleição —, sempre gostou de “sons galácticos e alienígenas”. Toca teclas, guitarra, baixo e bateria (autodidacta, começou a aprender com 16 anos), mas são os sintetizadores e as caixas de ritmo que mais prazer lhe dão. Isso e tocar ao vivo vestido de pijama.

Em poucos dias, Cara de Chewbacca estava no YouTube (onde tem mais de 47 mil visualizações) e no Sapo Vídeos e a ser partilhado nas redes sociais. “Nunca esperei que fizesse tanto sucesso”, confessa ao P3. Croquetes, o anterior single, já tinha corrido bem (o sarcasmo e a ironia estão presentes em todos os trabalhos que faz), mas Cara de Chewbacca teve “mais hype”.

A colaboração com DB é para continuar e para breve está previsto o lançamento de um EP conjunto, com três novas músicas assinadas pelos dois. A solo, PZ espera editar nova álbum em 2014. Fundador da Meifumado — juntamente com Zé Nando, Duarte Araújo e Sérgio Freitas —, PZ vai estar no Passos Manuel, no Porto, a 16 de Novembro, sábado, para uma noite da editora independente (e Cara de Chewbacca é das músicas mais esperadas).