Soares organiza novo congresso das esquerdas para defender Constituição e Estado Social

Reunião deverá acontecer a 21 de Novembro.

Foto
Mário Soares, no primeiro congresso das esquerdas, em Maio Miguel Manso

“Quando não se respeita a Constituição, está a caminhar-se para uma nova ditadura”, alertou Soares, em declarações ao i, assumindo que o encontro servirá para “defender a Constituição, tal como ela está”. O jornal adianta que o encontro se realizará no dia 21 de Novembro, na Aula Magna, o mesmo palco do congresso das esquerdas, que se realizou em Maio, para contestar as políticas de austeridade do Governo.

A nova reunião volta a ter o executivo de Passos Coelho na mira. Soares disse ao Expresso que o objectivo é juntar “todos quantos estejam contra o Governo, numa ampla frente de rejeição”.

Mas o Presidente da República não é esquecido. Cavaco Silva “não pode continuar a ser um agente de um partido político”, disse Mário Soares ao Expresso, apelando à convocação de eleições para pôr fim “à violência social e ao desespero das pessoas”.

Um novo congresso das esquerdas surge numa altura em que o Tribunal Constitucional está sob pressão, incluindo de vários dirigentes internacionais, por causa do Orçamento do Estado para 2014 e em que o desejo de mudança da Constituição tem sido assumido por várias personalidades da direita e até algumas de centro-esquerda, como o sociólogo António Barreto ou o ex-ministro das Finanças Fernando Teixeira dos Santos.

O primeiro congresso das esquerdas juntou várias personalidades, como Mário Soares, Manuel Alegre, Sampaio da Nóvoa e até José Pacheco Pereira.