Papa abraça e beija homem desfigurado

As imagens tornam-se virais e as comparações com São Francisco de Assis foram inevitáveis.

O gesto do Papa fez com que a comparação a São Francisco de Assis se multiplicasse pelas redes sociais
Foto
O gesto do Papa fez com que a comparação a São Francisco de Assis se multiplicasse pelas redes sociais DR

O Papa a abraçar e beijar um homem que sofre de uma doença rara, que o desfigurou. Aconteceu no final da audiência geral de quarta-feira, na Praça de São Pedro, e as imagens que retratam esse momento estão a tornar-se virais nas redes sociais.

Na altura da tradicional bênção aos peregrinos – estavam na praça milhares de fiéis– o Papa Francisco fez uma pausa e acolheu com um abraço o homem que, segundo a agência noticiosa católica CNA, sofre de neurofibromatose, doença que provoca tumores por todo o corpo. O homem encostou a cabeça no peito do Papa, que o abraçou, o beijou e o abençoou.

Os comentários sobre o gesto incluem comparações com Francisco de Assis, santo da Igreja Católica que se considerava servidor dos pobres, que terá abraçado um leproso, e a quem o actual Papa foi buscar o nome.

O actual Papa, eleito este ano, tem tido diferentes gestos que denotam preocupação em chegar aos mais pobres e às vítimas de diferentes formas de marginalização. Visitou presos e imigrantes e manifestou, por exemplo, abertura ao acolhimento de casais divorciados e homossexuais.

A neurofibromatose é uma perturbação genética que causa muitas dores e leva ao aparecimento de tumores por todo o corpo. Apesar de não ser contagiosa, dá frequentemente origem a discriminação social. Pode causar deficiência visual, dificuldades na aprendizagem e mesmo cancro.

O Vaticano anunciou entretanto que a misericórdia, palavra-chave do mandato do actual Papa, será o tema da próxima edição das Jornadas Mundiais da Juventude previstas para Julho de 2016 em Cracóvia, na Polónia. Nas edições preparatórias, que antecedem o próximo grande encontro mundial, os jovens católicos reflectirão sobre a pobreza espiritual, em 2014, e a pobreza de coração, em 2015.

Na quinta-feira foi também anunciado que Francisco receberá pela primeira vez o Presidente russo, no âmbito de uma visita de Vladimir Putin a Itália.