Jerónimo de Sousa explica coligação com PSD em Loures “em nome das populações”

Para o líder comunista, os socialistas “agiram como se não tivesse havido eleições”.

O acordo CDU-PSD em Loures garante a gestão camarária em maioria absoluta
Foto
O acordo CDU-PSD em Loures garante a gestão camarária em maioria absoluta Bruno Simões Castanheira

O líder comunista, Jerónimo de Sousa, legitimou nesta terça-feira a coligação autárquica em Loures, entre o PCP e o PSD, “em nome das populações”, já que os socialistas “agiram como se não tivesse havido eleições”.

“O nosso objectivo principal é servir as populações que nos elegeram, tanto em maioria como em minoria. Em Loures, o que a CDU [Coligação Democrática Unitária] fez foi propor ao PS que assumisse responsabilidades, pelouros, e até tempo para exercício da vereação. Agiram como se não tivesse havido eleições. O PS não aceitou e só lhe faltava pedir a presidência da câmara, mas isso era demasiado escandaloso”, explicou, numa sessão de esclarecimento, em Alverca.

Bernardino Soares, ex-líder da bancada parlamentar do PCP, ganhou a presidência da Câmara de Loures nas eleições de 29 de Setembro, pondo fim a uma gestão de 12 anos do PS.

Na segunda-feira, Bernardino Soares chegou a um acordo com o social-democrata Fernando Costa, antigo presidente da Câmara das Caldas da Rainha, com o objectivo de garantir “estabilidade governativa” em Loures.

“Chegámos a acordo com o PSD, como fizemos com o PS em Sintra e noutros sítios. Não perdemos os nossos princípios, mas, no que diz respeito às autarquias, estamos sempre dispostos a dar o nosso melhor pelas pessoas que confiaram em nós”, disse ainda o líder comunista.