Querido, transformei todas as tuas "t-shirts" num cobertor

Estás atulhado de t-shirts que já não usas, mas não consegues desfazer-te delas? O Project Repat transforma-as em cobertores

Foto
DR

Ao longo da vida, acumulamos "t-shirts" no armário ou em caixotes dos arrumos. São recordações de torneios, maratonas, viagens, concertos, mas parece que o espaço nunca chega e temos dificuldade em livrarmo-nos dessas memórias. O objectivo do Project Repat é precisamente usar essas roupas esquecidas para para fazer cobertores.

“Estávamos interessados neste problema dos têxteis não serem reciclados”, diz Nathan Rothstein — presidente da empresa — ao Huffington Post. Juntamente com o CEO do projecto, Ross Lohr, Rothstein começou a pensar num modelo de negócio à volta desta questão e os dois empresários decidiram apostar em cobertores que permitissem preservar as memórias dos clientes.

Os preços variam entre os 70 e os 500 dólares. Para comprar, os clientes vão ao website, encomendam um determinado cobertor (preço varia conforme com o tamanho) e a empresa envia um envelope pré-pago para colocar as "t-shirts". Depois é só pagar (a pior parte), esperar que sejam transformadas num cobertor e que voltem a casa num novo formato. No entanto, o Project Repat só vende para alguns países e Portugal ainda não consta dessa lista. Neste momento, só estão disponíveis encomendas para os EUA, Canadá, China, México e Reino Unido.

Embora tenha sede em Roxbury, Massachusetts (EUA), não é na Project Repat que a transformação acontece. As "t-shirts" são convertidas em diversas empresas locais e essa é uma das principais apostas deste projecto. Assim, mesmo que a roupa tenha sido feita fora dos EUA, esta forma de renovar o produto permite criar empregos locais. Para isso, o projecto recrutou a Precision Sportswear, a New Path e a Lowell — todas localizadas em Massachusetts — para dar uma nova vida às "t-shirts". Os responsáveis pelo Project Repat garantem que os funcionários destas empresas ganham entre 13 e 17 dólares por cada hora de trabalho.