Menos uma universidade portuguesa no ranking das 400 melhores

Há menos uma universidade portuguesa entre as 400 melhores do mundo no ranking Times Higher Education (THE), um dos mais prestigiados a nível internacional.

Foto

Os responsáveis pelo ranking destacam o “fraco progresso” das duas universidades portuguesas nesta lista. De resto, Porto e Minho surgem entre as melhores do mundo estão situadas na última faixa, entre os lugares 350 e 400 – o THE não hierarquiza as instituições abaixo do lugar 200 – mantendo a mesma posição do ano passado. Em relação a, deixa de constar a Universidade de Aveiro, mas este é já o segundo ano consecutivo em que a prestação portuguesa piora.

Em 2011 Portugal tinha quarto universidades no ranking THE, das quais Aveiro e Porto estavam entre a posição 301 e 350, com Coimbra e a Nova de Lisboa imediatamente a seguir. No ano seguinte, as duas últimas saíram da lista, ao passo que as duas primeiras perderam posições. A estas juntou-se a Universidade do Minho que então se estreava na lista.

O ranking deste ano mostra uma perda de capacidade de afirmação das principais universidades europeias, com a “vasta maioria das principais instituições europeias a descerem, enquanto as líderes da Ásia Oriental voltam a subir”, valoriza Phil Baty, editor do THE. As universidades Alemanha, França, Holanda, Bélgica, Irlanda e Áustria perdem todas posições, enquanto as representantes da China, Coreia do Sul, Singapura e Japão têm ganhos. Este último país tem a melhor instituição da região (Universidade de Tóquio, em 23º) e cinco representantes no top-400.

O THE é um dos mais prestigiados rankings internacionais do ensino superior e um dos mais completos, baseando-se em 13 indicadores que avaliam a qualidade do ensino e investigação das instituições, bem como a transferência de conhecimento e a capacidade de internacionalização.

A nível global, continua a ser liderado pelo California Institute of Technology, pelo terceiro ano consecutivo, enquanto o segundo lugar é partilhado por Oxford e Harvard, com a universidade de Stanford a fechar o pódio.