Governo do Iraque convida Zaha Hadid a projectar novo Museu de Bagdad

Edifício substituirá o Museu Nacional do Iraque, que foi alvo de pilhagens na guerra de 2003, e ainda hoje se encontra fechado ao público.

Zaha Hadid foi a primeira mulher a ser distinguida com o Prémio Pritzker
Foto
Zaha Hadid foi a primeira mulher a ser distinguida com o Prémio Pritzker Leon Neal/AFP

A arquitecta inglesa de origem iraquiana Zaha Hadid (n. Bagdad, 1950) foi convidada pelo governo de Bagdad a apresentar um projecto para a construção de um novo museu que venha a acolher as colecções do Museu Nacional do Iraque.

A notícia foi avançada, na semana passada, pela publicação britânica The Art Newspaper, mas não foi confirmada pelo atelier da arquitecta, cujo porta-voz se limitou a dizer que não havia qualquer comentário a fazer.

Citando uma notícia do jornal iraquiano Azzaman, o The Art Newspaper diz que o ministro do Turismo e das Antiguidades deste país, Liwa Sumaism, anunciou a localização do novo museu a oeste da capital, num terreno de 500 mil m2 junto ao antigo aeroporto militar de Muthanna.

Ainda segundo o Azzmann, “as extraordinárias relíquias do país serão todas transferidas para o novo museu, enquanto o antigo Museu Nacional do Iraque será transformado num centro de investigação e de estudo de antiguidades”.

Não são avançadas datas, e o orçamento também não está ainda fixado, mas o The Art Newspaper diz que um porta-voz do Centro Cultural do Iraque em Londres falou de uma verba de mil milhões de dólares (cerca de 740 mil milhões de euros) para o lançamento de um empreendimento que incluirá, para além do museu, uma biblioteca, um centro comercial, hotéis e restaurantes.

A confirmar-se o interesse de Zaha Hadid em corresponder ao convite do governo iraquiano – e se o seu projecto for aceite –, será a primeira obra de vulto da primeira mulher a ser distinguida com o Prémio Pritzker (2004) a ser construída no seu país de origem.

Zaha Hadid, cujo projecto do MAXXI, Museu Nacional de Arte do Século XXI, em Roma, lhe valeu o também prestigiado Stirling Prize, em 2010, tem estado no centro de uma polémica na China, com a associação de protecção do património Beijing Cultural Heritage Protection Centre a acusá-la de ter violado a paisagem tradicional de Pequim com o seu centro comercial Galaxy Soho.

Enquanto escasseia a informação sobre o projecto do novo Museu de Bagdad, encontra-se em curso a transformação em instituição museológica de um antigo palácio de Saddam Hussein na cidade de Baçorá, no sul do país, com abertura agendada para o próximo ano. O British Museum de Londres está a colaborar com o governo do Iraque na construção deste novo museu, cujo projecto foi lançado em 2008.

Parte das colecções que o irão preencher serão provenientes do Museu Nacional de Bagdad, cujo valioso espólio foi objecto de pilhagens durante a Guerra do Iraque, em 2003. O museu da capital permanece fechado ao público, abrindo apenas para visitas de escolas e de grupos VIP.