Líder do Aurora Dourada detido em Atenas

Nikolaos Michaloliakos é acusado de crime organizado.

Foto
LOUISA GOULIAMAKI/AFP

O líder do partido neonazi grego Aurora Dourada, Nikolaos Michaloliakos, foi detido pela polícia pelo envolvimento na morte do cantor de hip-hop e activista de esquerda Pavlos Fyssas, assassinado na semana passada. Sobre ele recaem ainda suspeitas de crime organziado.

Para além do líder partidário, foram também detidos pelo menos mais dez membros do Aurora Dourada. Entre eles está  o porta-voz do partido no Parlamento, Ilias Kasidiaris (que em Junho de 2012 agrediu duas deputadas num debate televisivo), e o secretário da organização local no bairro de Nikea, em Atenas, à qual pertencia Giorgos Roupakias, o assassino confesso de Fyssas. O músico de 34 anos, conhecido no meio artístico do país como Killah P, foi esfaqueado após uma discussão num bar no bairro de Amfiali, no subúrbio de Keratsini.

No total, foram emitidas 38 mandados de prisão contra o partido neonazi. O partido Aurora Dourada já reagiu pedindo aos apoiantes que se reúnam frente à sede da polícia em Atenas. Numa mensagem citada pela Reuters o partido pede apoio para uma "luta moral e justa contra um sistema corrupto".

As detenções fazem parte de um apertar do cerco ao partido de extrema-direita. Um cenário que se intensificou esta semana com o Governo a ordenar uma operação de repressão do Aurora Dourada, com buscas em sedes, substituições na liderança da polícia – acusada de tolerar ou mesmo de ser cúmplice nos crimes cometidos por elementos da extrema-direita – e a detenção de agentes.

Tanto o o Presidente da República, Karolos Papoulias, como o primeiro-ministro, Antonis Samaras, prometeram lutar contra o partido, que descrevem como "descendentes dos nazis", um combate que pode levar à ilegalização do Aurora Dourada.