PAN quer promover uso da bicicleta em Lisboa, Oeiras e Sintra

Candidato do PAN à Câmara Municipal de Sintra foi a pedalar de Sintra até Lisboa.

Ainda não são 10h00, mas em Sintra já se percebe que o dia vai ser quente. O calor e o sol não foram, porém, motivos suficientes para demover o candidato do PAN à autarquia local, Nuno Azevedo, de pedalar ao longo de cerca de 35 quilómetros e durante três horas, entre Sintra e Lisboa. Esta foi uma das iniciativas promovidas neste domingo pelo PAN, que pretende fomentar o uso da bicicleta em Sintra, Lisboa e Oeiras.

A actividade, que se inseria no Dia Mundial Sem Carro e no âmbito da semana europeia da mobilidade, contou ainda com a presença dos candidatos a Oeiras, Richard Warrell, e a Lisboa, Paulo Borges, mas nenhum acompanhou Nuno Azevedo no percurso de bicicleta. Richard Warrell diz que detectou à última hora um pedal da bicicleta partido e Paulo Borges explicou que prefere as caminhadas e o montanhismo.

O candidato do PAN a Oeiras, Richard Warrell, garantiu, porém, que, para se redimir do contratempo, iria fazer o percurso de Lisboa até Oeiras a correr: “Tive um problema técnico com a bicicleta, não pegava nela há algum tempo e o pedal estava partido. Vim de comboio, mas vou regressar a correr”, justifica, vestido a rigor para a corrida de cerca de dez quilómetros entre Lisboa e Paço de Arcos, onde vive.

Ao lado, o candidato à Câmara de Lisboa também se desculpa por não ter acompanhado o candidato a Sintra, mas prefere as caminhadas e o montanhismo. “Andar a pé é uma das coisas que mais gosto de fazer”, garante Paulo Borges.

O ambiente na partida, em frente ao Palácio de Sintra, e na chegada, em Lisboa, era de boa-disposição. Se em Sintra se metiam uns com os outros para saber se alguém precisava de “rodinhas” nas bicicletas, em Lisboa acabaram por desistir da ideia de fazer um comício: “Com tantas pessoas vamos ter de ir fazer o comício para outro lado”, ironizavam, bem-dispostos, no jardim em frente ao Mosteiro dos Jerónimos.

Apesar de só o candidato de Sintra ter cumprido o programa previsto, o objectivo de promover o uso das bicicletas, através da criação de mais ciclovias, é comum aos programas eleitorais dos três concelhos. O candidato de Sintra quer ainda criar, na zona da Portela de Sintra, um parque multidisciplinar, com espaços verdes, área para crianças, estruturas para a prática desportiva, para passear animais, e para actividades radicais: “Queremos criar um grande parque em Sintra que esteja bem perto de uma estação de comboios”, afirmou. “As prioridades têm sido sempre as estradas e as auto-estradas. O PAN quer apostar no ambiente, no lazer, no desporto, na qualidade de vida dos cidadãos”, acrescentou.

Richard Warrell também pretende criar mais vias para peões e para bicicletas que liguem as zonas do litoral de Oeiras ao interior do concelho. O candidato entende que, mesmo no passeio marítimo de Oeiras, há demasiada confusão entre quem anda a passear, quem anda de bicicleta e quem anda de patins e que devia haver um corredor exclusivo para ciclistas, onde se pudesse usar todo o dia a bicicleta como meio de transporte e não apenas como forma de fazer desporto.

A acompanhar Nuno Azevedo no percurso entre Sintra e Lisboa estiveram 15 pessoas, e nem todas pertenciam ao partido. Rui Lopes, por exemplo, desempregado de 34 anos, aderiu à iniciativa não tanto por motivos políticos, mas por ser um “apoiante” da bicicleta: “Soube disto pelo facebook e resolvi aderir. Acho bem estas iniciativas do PAN para promover a bicicleta e o ambiente”, diz.

Apesar de não pegar muitas vezes na bicicleta, Nuno Azevedo pratica desporto e, por isso, foi em forma que chegou a Lisboa. De propósito e com a t-shirt bem transpirada, fez questão de “fazer a maldade” de abraçar os candidatos que não o acompanharam e que o esperavam, asseados e frescos, em Lisboa.
 

Sugerir correcção