Ministério admite falência técnica dos hospitais de Santa Maria e Pulido Valente

Gabinete de Paulo Macedo assegura que estes casos não comprometem a prestação de cuidados aos doentes.

A farmácia de Santa Maria abriu em Abril de 2009
Foto
A farmácia de Santa Maria abriu em Abril de 2009 Nuno Ferreira Santos

O Centro Hospitalar Lisboa Norte, que integra os hospitais de Santa Maria e de Pulido Valente, está em falência técnica, admite o Ministério da Saúde, que explica a situação com o aparecimento de unidades públicas e privadas concorrentes na captação de doentes.

A pergunta surgiu pela mão do grupo parlamentar do PCP e pedia ao ministério que indicasse as medidas avançadas pela tutela para impedir a situação de falência técnica do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN). Na resposta, avança esta sexta-feira o Diário Económico, o chefe do gabinete do ministro Paulo Macedo admite que o maior hospital do país, o Santa Maria, e o Pulido Valente, estão em falência técnica.

Não é a primeira vez que a tutela admite esta situação em hospitais EPE, mas agora identifica as instituições.

Segundo o ministério, cita o jornal, o CHLN “foi confrontado nos últimos anos com a abertura de novos hospitais, públicos e privados, que com ele concorrem no processo de captação e tratamento de doentes”. Entre as novas unidades que servem a área de Lisboa Norte está o Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, e o Hospital de Vila Franca de Xira, inaugurado este ano.

O ministério explica que adaptar o CHLN “às novas solicitações da procura requer mecanismos de flexibilização da despesa, nomeadamente na estrutura de custos fixos, que demoram algum tempo a implementar e exigem quadros normativos susceptíveis de o poder garantir”.

O gabinete de Paulo Macedo afirma que “está a trabalhar” nesse sentido e garante que, “em momento algum, casos de alegada falência técnica comprometerão o processo assistencial dos doentes e a prestação de cuidados a que têm direito”.