Torne-se perito

Portugal sem argumentos (e sem Ronaldo) para o Brasil

Selecção portuguesa de futebol perdeu por 3-1 num particular disputado nos EUA.

A defesa portuguesa raramente conseguiu travar a velocidade de Neymar
Fotogaleria
A defesa portuguesa raramente conseguiu travar a velocidade de Neymar Reuters
Fotogaleria
O golo a abrir de Meireles foi insuficiente para as aspirações “lusas” AFP
Fotogaleria
Neymar celebra depois de passar meia selecção portuguesa Reuters
Fotogaleria
Pelé e Eusébio na hora do reencontro AFP
Fotogaleria
Nas bancadas do Gillete Stadium houve quem suspirasse por Cristiano Ronaldo, ausente por lesão Reuters

Sem Ronaldo (lesionado) e a jogar contra um Neymar em noite inspirada, Portugal perdeu por 3-1 contra o Brasil num particular disputado na noite de terça-feira (madrugada em Lisboa) em Boston, nos EUA.

A selecção nacional ainda saiu na frente com um golo de Raul Meireles à passagem do minuto 18, mas ao intervalo já estava a perder. O central brasileiro Thiago Silva empatou seis minutos depois na sequência de um canto, a que se seguiu uma obra de arte em forma de golo com a assinatura de Neymar. A estrela brasileira, que nesta época se transferiu para os espanhóis do Barcelona, pegou na bola no meio campo e passou por meia selecção portuguesa para assinar um golo que levantou as bancadas do Gilette Stadium. O resultado final seria estabelecido já na segunda parte, com Jô a apontar o terceiro golo dos brasileiros aos 49 minutos de jogo.

No final da partida, o seleccionador nacional Paulo Bento atribuiu a derrota à falta de agressividade dos jogadores portugueses, mas viu no embate um bom ensaio para o jogo do próximo dia 11 de Outubro com Israel que pode valer a Portugal um lugar no play-off de apuramento para o Mundial de 2014, a disputar precisamente no Brasil.

"Temos de melhorar a agressividade com que devemos jogar e não só defensivamente. A segunda parte foi muito insípida, até porque o terceiro golo do Brasil acabou com o jogo”, disse. “Este resultado acabou por ser bom para o jogo que vamos ter com Israel. Aprendemos sempre quando perdemos.” A Portugal basta um empate em casa com os israelitas para garantir, no mínimo, o segundo lugar no grupo de apuramento para o Mundial e o consequente acesso ao play-off decisivo, a disputar à melhor de duas partidas.

Já o extremo do FC Porto Licá, que se estreou em jogos da selecção, era um homem feliz no final do encontro com os brasileiros. "Só o resultado falhou na minha estreia. Agora sou internacional, e claro que sou um homem diferente. Foi óptimo ter estreado num encontro destes, frente a uma grande equipa e perante estes adeptos fantásticos, tanto portugueses como brasileiros".

 

Sugerir correcção