As praças e os jardins de Lisboa são um filme (vídeo) a partir desta terça-feira

FUSO vai estar nos jardins dos museus de História Natural e da Ciência, de Arte Contemporânea, o Arqueológico do Carmo e o Nacional de Arte Antiga

Foto
Salomé Lamas e "Pássaros" dr

O Festival FUSO Anual de Vídeo Arte Internacional de Lisboa regressa esta terça-feira com filmes para exibir em ao ar livre em cinco museus da capital. Até 19 de Setembro, a 5.ª edição do festival tem como tema Plural de Cor – focado no preto e branco.

Este ano foram estabelecidas parcerias com cinco museus em Lisboa - o de História Natural e da Ciência, o Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, o Museu Arqueológico do Carmo e o Museu Nacional de Arte Antiga, bem como o Museu da Electricidade - onde serão apresentados os vídeos, em espaços ao ar livre. No Espaço BES Arte & Finança inaugura-se também uma exposição de trabalhos de artistas portugueses com curadoria de João Laia.

O festival quer dar a conhecer não apenas as novas obras de vídeo arte de portugueses e estrangeiros, mas também as problemáticas que abordam no seu trabalho. São mais de 40 artistas, de Michael Snow a Merce Cunningham, passando pelos portugueses Salomé Lamas e Vasco Araújo.

O festival é produzido pela DuplaCena e a Horta Seca - Associação Cultural, em co-produção com a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), o BES Arte & Finança e a Fundação EDP. A direção-geral é de António Câmara Manuel e os programadores são Jean-François Chougnet, Lori Zippay, Pilar Simon Ribal, Anne Marie Duguet, Susana Pomba, Isabel Nogueira e Solange Farkas.<_o3a_p>

Nesta edição serão atribuídos dois prémios, anunciados a 25 de Agosto: o Prémio Aquisição FUSO/Fundação EDP para a melhor obra, no valor de 2500 euros, e o Prémio do público, que consiste num certificado.  <_o3a_p>
 

Sugerir correcção