O calor e as surpresas do Festival Paredes de Coura

A julgar pelo calor intenso, a 21.ª edição de Paredes de Coura não verá quaisquer vestígios de chuva. No segundo dia de festival, a um do arranque em pleno, o parque de campismo e a praia fluvial do Taboão estão já repletos de gente e cinco dezenas de felizardos viram um concerto inesperado de Bombino numa aldeia nos montes do Alto Minho.

Fotogaleria
Bombino, jovem mestre tuaregue da guitarra Paulo Pimenta
Fotogaleria
O calor é imenso em Paredes de Coura Paulo Pimenta
Fotogaleria
O parque de campismo e o rio Taboão estão já repletos de gente Paulo Pimenta
Fotogaleria
À espera dos concertos Paulo Pimenta

Há dois dias, segunda-feira, Nuno Lopes, o actor que também é DJ, instalou-se no centro da vila para dar música aos acampados precavidos que vieram com antecipação, e às pessoas de Paredes de Coura que olharam curiosas para os rapazes e raparigas que dançavam a batida do DJ que é actor.

Ontem, terça-feira, os acampados e demais público que veio a Paredes de Coura para acompanhar o festival, viu a boa selecção nacional escolhida para a inauguração do Palco Vodafone FM, o mais pequeno, que acolheu Tape Junk, O Bisonte, Sensible Soccers, Moullinex e os Filthy Pigs.

Hoje, quarta-feira, quem chegasse ao início da tarde à praia fluvial do Taboão, onde decorre o festival, tirava duas conclusões. Primeira: a chuva, um clássico de Paredes de Coura, parece fenómeno meteorológico impossível perante o calor, muito calor, tanto calor que se sente por aqui. Segunda: a julgar pela gente que chapinha e navega na água em botes de borracha; que descansa na relva das margens; que descontrai na sombra do repleto parque de campismo, esta será tudo menos uma edição pouco concorrida.

Enquanto operários e voluntários se afadigavam a tratar dos últimos pormenores da montagem do recinto, a população do festival Paredes de Coura, pessoal jovem entregue ao fato de banho porque, como dissemos e repetimos, o calor por aqui é muito, ia aumentando com quem chegava da vila carregado de mercearia para fazer frente às quatro noites e três dias que tem pela frente.

Os cabeças de cartaz são The Knife (quinta-feira), Echo & The Bunnymen (sexta) e Belle & Sebastian, mas nenhum deles está nas preferências de Diego Garcia e Martin Garcia, galegos de A Coruña que partilham o apelido mas não laços familiares. Diego viu o festival anunciado na internet, reparou nos Alabama Shakes (um dos grandes destaques da noite desta quarta-feira), nos Vaccines (actuam quinta) e nos Justice (sábado), avisou o amigo e puseram-se a caminho. Falam do rio, elogiam os DJ da noite anterior (referem-se a Moullinex e aos Filthy Pigs, que presentearam com uma bandeira da Galiza atirada para o palco) e elogiam: “Está a ser óptimo, uma boa surpresa”.

Os galegos não nos dizem isto na Praia Fluvial de Paredes de Coura.Estamos a cerca de uma dezena de quilómetros de distância, na aldeia de Porreiros. Mais propriamente, na Eira Comunitária de Porreiros, nos montes do Alto Minho. Foi lá que cinquenta felizardos viram um curto concerto “privado” de Bombino, jovem mestre tuaregue da guitarra. A iniciativa é da Vodafone FM. São recolhidos interessados no parque de campismo, enfiam-se os ditos interessados (a maioria não sabe ao que vai) num autocarro e acontecem coisas assim: entre o granito e os espigueiros, um músico tuaregue toca para portugueses e galegos que, pelo calor que os obriga a transformar lenços em turbantes, se transformam também um pouco em tuaregues.

Ontem, os portugueses Tape Junk também tocaram algures nas redondezas de Paredes de Coura e, nos próximos dias, o ritural repetir-se-á com outras bandas.“Esta foi mais uma surpresa”, exclamam Diego e Martin, que desconheciam quem era Bombino (iremos vê-lo esta quarta à noite em actuação oficial), no final do concerto inesperado. Meia hora depois, estariam de volta ao centro da acção. O rio continuava a encher-se de gente, as margens igualmente, os últimos pormenores estavam praticamente finalizados. Os The Discotexas Band faziam o seu teste de som e o público continuava a chegar.

Esta quarta-feira é a última noite de “preparação”. Amanhã, quinta-feira, com Jazz na Relva durante a tarde, com concertos nos dois palcos, o Paredes de Coura 2013 arranca definitivamente. Porém, a julgar pela tanta gente que já combate alegremente o calor na Praia Fluvial do Taboão, diríamos que o festival já está em pleno funcionamento.
 

Notícia corrigida às 15h37 de 15 de Abril - na entrada, identifica-se praia fluvial do Taboão