Obama critica países que votam leis contra os homossexuais

A teoria de que Obama é o anticristo é partilhada por 13% de inquiridos numa sondagem, outros 13% não têm a certeza
Foto
A teoria de que Obama é o anticristo é partilhada por 13% de inquiridos numa sondagem, outros 13% não têm a certeza Saul Loeb/AFP

Depois de a Rússia ter adoptado medidas sancionatórias contra aquilo a que chama "propaganda" gay, Barack Obama critica os países que adoptam leis discriminatórias contra os homossexuais,

"Não sou tolerante para com os países que tentam tratar os gays, lésbicas ou pessoas transgénero de uma maneira que os intimida ou que os prejudique", declarou Obama ao responder a uma questão sobre a lei russa aprovada recentemente. "Se se discrimina por motivos de raça, religião, género ou orientação sexual, está-se a violar uma base moral que deve ser transcendente aos países", acrescentou, citado pela AFP.

Uma lei russa, promulgada pelo Presidente Vladimir Putin, introduziu multas que vão até aos cinco mil rublos (156 euros) para os cidadãos que divulguem informação a menores "com a intenção de provocar formas de sexualidade não tradicionais" ou que possam levar a uma "compreensão deformada" de que as relações heterossexuais e homossexuais são "socialmente equivalentes".

A oposição classificou a lei de homofóbica e tão vaga que, inevitavelmente, será utilizada de forma arbitrária e poderá fazer crescer sentimentos hostis aos homossexuais naquele país.

A Rússia não é o único país a adoptar leis desse tipo, existem outros, por exemplo, em África, que "duma maneira ou doutra perseguem os gays e as lésbicas", disse Obama. "Acredito que o fundamental é assegurar que as pessoas sejam tratadas de forma equitativa e com justiça", defendeu.