Moullinex, os amigos e o mundo

Fotogaleria

A primeira fotografia do Instagram de Moullinex foi tirada em Março de 2011. Nela vemos Xinobi, a outra metade da editora Discotexas, à frente de um talho com o promissor nome The Best of Meat. "Na altura, ele tinha feito uma música chamada 'The Best of Me'." "Private joke" n.º 1. Na última imagem, captada a 7 de Julho, está Peaches no banco de trás do carro. A galeria de Moullinex é tanto um encontro entre amigos, como um diário das suas 1001 viagens, como conta, ao P3, o DJ, músico, "artista", se tiver de ser ("é demasiado pretensioso"). De tal maneira que, muitas vezes, uma fotografia no Instagram serve para dizer à família que chegou bem. "A minha mãe sabe onde estou pelas fotos no Instagram e as actualizações no Facebook", diz o autocrítico "filho negligente". De tal maneira, que tem até um "acordo de cavalheiros e de damas", um "código de conduta não falado" com os amigos: "Se um publica primeiro, os outros não põem." Entre Moullinex e Luís Clara Gomes não há fronteiras. É isso, aliás, que o atrai na partilha destes momentos — um "hábito", não um vício. Passa semanas sem entrar na conta. Fazemos "scroll down" e damos a volta ao mundo. Rússia, Colômbia, China, Argentina, Austrália, México. Foi na América do Sul que conseguiu os melhores instantâneos ("por causa da cor, da intensidade de tudo") e que teve algumas das actuações "mais mágicas e perfeitas de sempre". Mesmo que no México o concerto tenha metido água. Literalmente. "O clube estava a ser construído e, durante o 'soundcheck', estavam a colocar o vidro no telhado." Está tudo no Instagram — só faltam os impermeáveis em cima dos instrumentos da actuação propriamente dita. Luís actua no dia 21 de Junho na Casa da Música, inserido na programação do Verão na Casa.

Sugerir correcção