Rui Moreira deixa Associação Comercial do Porto para se concentrar na candidatura à câmara

Foto
Rui Moreira apresentou decisão como imperativo de consciência Ricardo Castelo/NFactos

“Faltam três meses para as eleições autárquicas e, numa altura em que a campanha se vai intensificar, entendo que não devo manter-me na presidência desta associação, até por respeito aos interesses dela e dos seus associados”, afirmou Rui Moreira, numa conferência de imprensa realizada no Palácio da Bolsa, sede da ACP.

O candidato independente apoiado pelo CDS à Câmara do Porto revelou que, a partir deste sábado, a presidência da ACP – um cargo não executivo e não remunerado –  será exercida por Rui Ferreira Marques, actual vice-presidente, conforme determinam os estatutos.

Os associados da ACP já foram informados desta decisão e tiveram também acesso ao relatório e contas da Associação Comercial do Porto, que obteve 190 mil euros de lucro no último exercício.

Por mais de uma vez, o empresário deixou clara a preocupação de separar as águas: “Seria um desprestígio para a associação manter-me como presidente", disse o também candidato à Câmara do Porto.

Questionado sobre se a sua decisão deveria ser seguida pelos adversários que lideram outras instituições, Rui Moreira declarou: “Não faço apreciações éticas sobre os outros candidatos, em particular em questões subjectivas. Saio em respeito pelos associados, pela cidade, pela minha família e pela minha consciência”.

Após as eleições, Rui Moreira vai convocar uma assembleia geral electiva, mas não revela se pretende regressar à liderança da associação, caso os munícipes não o elejam presidente da Câmara do Porto.