Turista de couch surfing violada em Lisboa

É o primeiro caso do género a chegar às autoridades policiais portuguesas. Num outro caso, em Bragança, uma estudante foi violada numa residência universitária.

A violação foi consumada num apartamento na Grande Lisboa
Foto
A violação foi consumada num apartamento na Grande Lisboa Sérgio Azenha

Um homem, residente em Lisboa, terá aproveitado o couch surfing, moda que se baseia em disponibilizar a própria casa como alojamento a viajantes estrangeiros, para atrair e violar uma turista. Tudo terá ocorrido na madrugada de anteontem, “mal chegaram a casa, na zona da Grande Lisboa”, disse ao PÚBLICO a coordenadora da Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa, Rita Vieira.

O suspeito, de 30 anos, foi entretanto detido pela PJ depois de a vítima, uma estrangeira de 25 anos, ter apresentado queixa à polícia. Segundo a PJ, não tinha cadastro e os abusos ocorreram depois de o detido ter ido buscar a vítima a um ponto de encontro previamente combinado.

De acordo com a coordenadora da PJ, a vítima viajava pela Europa com recurso ao couch surfing e esteve em Portugal apenas “24 horas”, tendo partido logo no dia seguinte. O suspeito “encontrava-se inscrito num sítio de couch surfing na Internet, o qual possibilita que os utilizadores troquem contactos entre si, a fim de facilitarem alojamento gratuito nas próprias casas”, refere a PJ, em comunicado, acrescentando que o detido foi contactado pela mulher estrangeira “sem conhecimento da língua portuguesa” e que lhe solicitou alojamento nos termos acordados na plataforma digital.

Sem qualquer arma ou outro instrumento de ameaça, o homem ter-se-á aproveitado da “vulnerabilidade física” da mulher e do facto de se “encontrarem a sós” para a obrigar, “com alguma violência”, à “prática de actos sexuais forçados”. Devido à greve desta quinta-feira, a PJ não tinha ainda a certeza de que o detido seria hoje ouvido por um juiz de instrução criminal para apresentação de medidas de coacção.

Também ontem, a PJ de Vila Real anunciou a detenção de três homens por abuso sexual de uma mulher de 25 anos. A violação terá ocorrido numa residência universitária em Bragança, enquanto a estudante estava “inanimada pelo consumo excessivo de álcool”.

Segundo a PJ, os suspeitos, todos estrangeiros — um formador, um contabilista e um engenheiro —, têm entre 26 e 33 anos. Foram presentes a um juiz, mas ainda não se conhecem as medidas de coacção aplicadas. 

Notícia corrigida às 20h06: no terceiro parágrafo, a palavra “usuários” foi substituída por “utilizadores” 
 
 

Sugerir correcção