Convento de Jesus em Setúbal é um dos sete monumentos em risco na Europa

Programa da Europa Nostra visa estudar formas de angariar fundos comunitários ou privados para recuperação.

Fotogaleria
Uma vigília contra a degradação do convento em 2005 Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
O estado de conservação do mosteiro, em 2004 Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
A zona histórica de Nicósia DR
Fotogaleria
As fortificações de Briançon DR
Fotogaleria
A igreja de São Jorge em Mardin (Turquia) DR
Fotogaleria
A paisagem histórica mineira de Rosia Montana (Roménia) DR
Fotogaleria
A igreja renascentista de San Benedetto Po DR
Fotogaleria
O anfiteatro romano de Durrës, na Albânia DR

O Convento de Jesus, em Setúbal, um dos primeiros exemplos de arquitectura manuelina e monumento nacional, está “em adiantado estado de decomposição e precisa urgentemente de peritagem e apoio financeiro europeu”, divulgou nesta quarta-feira em Atenas, Grécia, a federação pan-europeia Europa Nostra. É um dos sete monumentos em risco no continente europeu para a Europa Nostra, que lançou neste ano o programa que visa identificar estes locais e proceder a avaliações de formas de obter financiamento comunitário ou privado para a sua recuperação.

Além deste monumento português, a Europa Nostra anunciou nesta quarta-feira a lista dos sete monumentos mais ameaçados da Europa e ao convento de Setúbal juntam-se o anfiteatro romano de Durrës, na Albânia, a zona de separação - criada durante a invasão do Exército turco em 1974 - no centro histórico de Nicósia (Chipre), as fortificações setecentistas de Briançon (França), o mosteiro renascentista de San Benedetto Po (Itália) e ainda a paisagem histórica mineira de Rosia Montana (Roménia) e a igreja de São Jorge em Mardin (Turquia).

Esta federação pan-europeia de património cultural reúne 250 organizações não-governamentais e outras sem fins lucrativos e tem mais de cinco milhões de associados, denunciando património em risco mas também premiando a excelência em várias áreas da conservação - no ano passado distinguiu o restauro dos órgãos da basílica do convento de Mafra, por exemplo, e neste ano os restauros do Liceu Passos Manuel e do chalet da condessa de Edla.

Mas Portugal surge nesta nova lista por motivos menos positivos. A organização denuncia que estes sete monumentos estão em risco por razões várias – “falta de financiamento ou de capacidade técnica, planeamento inadequado, negligência, catástrofes naturais ou conflitos políticos”. Mas para todos “é preciso acção urgente”. O anúncio foi feito em Atenas por ocasião do congresso dos 50 anos da organização, em conjunto com o European Investment Bank Institute, e para o tenor espanhol Placido Domingo, que preside à Europa Nostra, é importante não só pelo alerta que constitui mas também pelo significado estratégico destes locais: “Salvar estes locais pode também agir como catalisador para a revitalização social e económica de cidades ou áreas inteiras."

No caso do Convento de Jesus, em Setúbal, a Europa Nostra frisa exactamente que esta “jóia da nossa herança comum” está fechada ao público há mais de 20 anos e que o seu “restauro completo” seria o tal “catalisador para a revitalização” do centro histórico de Setúbal. Na nota referente ao mosteiro, ele é descrito como um “testemunho tangível da história partilhada da Europa” por ter sido, entre outros marcos históricos, o local da ratificação da assinatura do Tratado de Tordesilhas (1494) e por ter sido classificado em 2011 com o “European Heritage Label” da Comissão Europeia.

O Convento de Jesus, classificado como monumento nacional desde 1910, está em visível degradação, agravada desde a década de 1980, quando as paredes exteriores foram “picadas”. Desde então o encerramento ao público foi quase constante, tendo o espaço sido intervencionado na última década com obras na cobertura, fachadas e carpintarias – em 2007, o então Ippar (Instituto Português do Património Arquitectónico), dirigido por Elísio Summavielle, promovia obras orçadas em 500 mil euros nestas áreas. Uma intervenção aquém da anunciada pelo seu antecessor, João Belo Rodeia, que em 2005 tinha anunciado um plano tripartido de cerca de 16,1 milhões de euros. O arquitecto João Carrilho da Graça, Prémio Pessoa em 2008, é o autor do projecto de requalificação do Convento de Jesus, aprovado no final dos anos 1990.

O convento encontra-se agora em obras, uma intervenção aprovada pela tutela do sector do património e que está a ser levada a cabo pela autarquia de Setúbal.

“É por isso que a Europa Nostra apela a muitos parceiros públicos e privados” a todos os níveis “para juntarem forças para garantir um futuro promissor para as cidades escolhidas”, disse ainda Plácido Domingo esta quarta-feira em Atenas. O European Investment Bank Institute, através do seu director geral, garantiu que vai “levar a cabo os esforços necessários para avaliar os locais escolhidos e contribuir para o desenvolvimento de planos de acção realistas” em colaboração com a Europa Nostra, outros parceiros e as entidades locais públicas e privadas.

Os seis restantes monumentos em risco, “seleccionados não só porque contam uma história fascinante sobre o nosso passado comum”, como descreveu Plácido Domingo, juntar-se-ão assim ao Convento de Jesus como contemplados no programa “Os Sete Mais em Perigo” que vai consistir em missões de peritos que viajarão até estes sete locais após o Verão para avaliar formas de angariar fundos comunitários ou empréstimos. Os planos finais, informa a Europa Nostra em comunicado, serão apresentados em Bruxelas a 5 de Dezembro deste ano.

Os sete monumentos em risco da Europa em 2013 foram escolhidos por um painel de peritos internacionais da Europa Nostra, tendo a organização recebido 40 nomeações vindas de 21 países. 

Notícia actualizada às 11h57 de 14 de Junho, com a informação sobre as obras actualmente em curso.