Real Madrid anuncia saída de José Mourinho

Rescisão por mútuo acordo.

Fotogaleria
Durante um treino antes de um jogo com o Barcelona AFP PHOTO / DANI POZO
Fotogaleria
Durante uma conferência de imprensa no Santiago Barnabeu AFP PHOTO / JAVIER SORIANO
Fotogaleria
Com Tito Vilanova, durante um clássico para a Liga FP PHOTO/ LLUIS GENE
Fotogaleria
Com Aitor Karanka AFP PHOTO/ PIERRE-PHILIPPE MARCOU
Fotogaleria
Durante a final da Taça do Rei, último jogo do treinador português no Real REUTERS/Juan Medina
Fotogaleria
Expulsão na final da Taça do Rei, último jogo ao serviço do Real AFP PHOTO / JAVIER SORIANO
Fotogaleria
Durante um jogo contra o Espanyol para a Liga AFP PHOTO / PEDRO ARMESTRE
Fotogaleria
Durante um treino em Madrid AFP PHOTO/DOMINIQUE FAGET
Fotogaleria
Agressão ao adjunto do Barcelona, Tito Vilanova, depois de um jogo da Supertaça DR
Fotogaleria
Depois da conquista do campeonato da época passada REUTERS/Vincent West
Fotogaleria
Antes de um jogo para a Liga dos Campeões REUTERS/Paul Hanna
Fotogaleria
Durante um treino em Valdedebas REUTERS/Andrea Comas
Fotogaleria
Durante um jogo com o Barcelona de Josep Guardiola, um dos seus principais adversários na passagem pelo Real AFP PHOTO / LLUIS GENE
Fotogaleria
Uma conferência de imprensa antes de um jogo para a Liga AFP PHOTO / Pedro ARMESTRE
Fotogaleria
Durante um treino AFP PHOTO / DANI POZO
Fotogaleria
Durante a assinatura do contrato com o Real Madrid REUTERS/Elisa Estrada/Realmadrid.com
Fotogaleria
No Santiago Bernabeu, na véspera de um jogo contra o Galatasaray para a Liga dos Campeões REUTERS/Juan Medina
Fotogaleria
Com Carlo Ancelotti, durante um jogo contra o Chelsea na Liga dos Campeões AFP PHOTO / GIUSEPPE CACACE
Fotogaleria
Com Jorge Valdano na apresentação como treinador do Real AFP PHOTO / DOMINIQUE FAGET
Fotogaleria
Antes de um jogo para a Liga dos Campeões com o AC Milan AFP PHOTO / GIUSEPPE CACACE
Fotogaleria
Com Lionel Messi, na primeira mão da Supertaça em Madrid AFP PHOTO/ DANI POZO
Fotogaleria
Antes de um treino em Madrid AFP PHOTO / DANI POZO

Praticamente três anos após a apresentação oficial como treinador do Real Madrid, José Mourinho está de saída do clube. O divórcio entre as duas partes foi anunciado nesta segunda-feira pelo presidente Florentino Pérez, numa conferência de imprensa no Estádio Santiago Bernabéu, que serviu também para anunciar a data das próximas eleições: 16 de Junho.

“A relação entre o Real Madrid e José Mourinho terminará no final da presente temporada. Tanto o clube como o treinador concordaram que é o momento adequado para dar por terminada esta ligação”, anunciou o dirigente, que agradeceu o trabalho realizado pelo técnico português nos três anos em que esteve no comando da equipa. A visita à Real Sociedad e recepção ao Osasuna são os últimos dois compromissos de Mourinho, que deixa para trás três troféus: Taça do Rei em 2010-11, Liga em 2011-12 e Supertaça no início da temporada 2012-13. O destino do técnico português passará por um regresso a Inglaterra, com o Chelsea a ser apontado como forte possibilidade.

“[Com Mourinho] demos um salto qualitativo enorme, no plano desportivo. O Real Madrid está hoje no lugar que lhe corresponde. O balanço, do ponto de vista desportivo, é positivo”, sublinhou Florentino Pérez. “Neste ano chegámos à meia-final da Liga dos Campeões, fomos segundos na Liga espanhola, mas para nós não é suficiente. Faltou-nos um pouco mais. Este é um clube muito exigente. Estamos orgulhosos por esse nível de exigência. A nossa cultura é ganhar”, acrescentou.

“Mourinho é o treinador que mais tempo leva no cargo, entre os 20 equipas da Liga espanhola. Não é fácil, numa instituição submetida a tanta pressão como este clube”, prosseguiu Florentino Pérez, que não desvendou qualquer detalhe em relação ao sucessor de Mourinho no Real Madrid: “Será uma nova etapa, e queremos que seja uma pessoa que nos ajude a continuar a melhorar. Hoje temos uma grande estabilidade institucional e económica”.

Carlo Ancelotti, que conduziu o Paris Saint-Germain ao título em França, tem sido insistentemente apontado como possibilidade para treinar o Real Madrid em 2013-14, mas Florentino Pérez garantiu que ainda não falou com ninguém: “Não fizemos nenhum acordo ou pré-contrato com nenhum treinador. É um dossier a ser tratado nos próximos tempos”.

“Será sempre recordado nesta casa”
Questionado sobre os atritos entre José Mourinho e alguns jogadores do plantel (Iker Casillas ou Pepe, por exemplo), o presidente do Real Madrid sublinhou que “cada treinador tem a sua personalidade”. “O nível de pressão a que esteve submetido não é normal”, notou Florentino Pérez, admitindo que a saída de Mourinho do clube faz deste “um dia triste”. “[Mourinho] será sempre recordado nesta casa. É uma parte da nossa história.”

É indubitável que o treinador português está nas páginas da história do Real Madrid. Pela positiva e pela negativa. Por um lado, conduziu os merengues ao título de campeão espanhol, batendo o Barcelona de Pep Guardiola, considerada por muitos como a melhor equipa do mundo. E quebrou um ciclo de seis anos seguidos do Real Madrid a ser eliminado nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, levando o clube a três meias-finais consecutivas e recuperando algum do prestígio europeu.

Mas também foram muitos os episódios polémicos protagonizados por Mourinho na capital espanhola. Desde o braço de ferro com Valdano, que conseguiu afastar do clube, até às constantes críticas à arbitragem. Em Agosto de 2011 chegou mesmo a meter o dedo no olho de Tito Vilanova, então adjunto de Guardiola no Barcelona, durante a segunda mão da Supertaça espanhola que os catalães venceriam.

Mais recentemente, Mourinho remeteu o guarda-redes internacional espanhol Iker Casillas à condição de suplente, admitindo mesmo que um dos seus arrependimentos foi não ter contratado o guarda-redes Diego López logo quando chegou a Madrid. E, quando o internacional português Pepe pediu “respeito” por Casillas, Mourinho disse publicamente que o defesa é um homem “frustrado”.

O último episódio polémico aconteceu na sexta-feira, durante a final da Taça do Rei, que o Real perdeu para o Atlético de Madrid. Mourinho foi expulso durante a partida, e depois não subiu à tribuna para receber a medalha de vencido das mãos do rei Juan Carlos.