Torne-se perito

Cinemas portugueses perdem 20% de espectadores nos primeiros meses do ano

Bilheteiras dos cinemas portugueses registaram nos primeiros quatro meses deste ano menos seis milhões de euros.

A Socorama encerrou 66 salas em Janeiro, 49 das quais no final do mês
Foto
Os cinemas de São João da Madeira, encerrados no final de Janeiro, vão reabrir sob a chancela Cineplace Rui Farinha

Quase menos um milhão de espectadores não foi ao cinema nos primeiros quatro meses deste ano, quando comparado com os números da mesma altura do ano passado. As salas portuguesas registaram uma quebra de 20,8%, tendo sido o mês de Abril o que registou uma maior descida.

No ano passado, por esta altura, o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) revelava no seu balanço habitual que entre Janeiro e Abril as salas portuguesas somavam 4.480.406 espectadores. Neste ano, o total é de apenas 3.548.137, para o que terá contribuído o recente encerramento de 66 salas da Socorama, que fez com que várias localidades e distritos ficassem sem oferta comercial simultânea de cinema.

De acordo com os dados do ICA revelados nesta segunda-feira, nos primeiros quatro meses do ano passado, só em Março é que as salas registaram menos de um milhão de espectadores. Este ano, porém, o cenário é diferente, e só em Janeiro é que o total dos espectadores superou a marca do milhão (1.060.658). Em Abril, mês em que se regista a maior quebra em relação ao ano passado, foram ao cinema 666.992 espectadores. Em 2012, foram nesse mês 1.325.472, o que representa uma quebra de quase 50%.

Nas bilheteiras, esta quebra traduz-se em cerca de seis milhões de euros. Se em 2012 se somaram nestes primeiros quatro meses 24 milhões de euros, este ano o total reduz-se a 18,3 milhões, menos 23,4%.

Neste período, o filme mais visto foi a produção da Dreamworks Os Croods, que chegou às salas portuguesas a 21 de Março. Desde então, o filme já somou 248.803 espectadores. Logo atrás surge O Impossível, filme do catalão Juan Antonio Bayona, protagonizado por Naomi Watts e Ewan McGregor, que foi visto por 222.906 pessoas. Django Libertado, que se estreou em Janeiro, é o terceiro filme mais visto nestes primeiros quatro meses do ano, com 184.881.

Longe destes números está o cinema português. O filme mais visto neste período é uma co-produção portuguesa, O Comboio Nocturno para Lisboa, de Bille August, e que foi visto por 56.363 pessoas. Em segundo lugar, e ainda muito longe destes números, está o filme de Joaquim Leitão Quarta Divisão, com 4894 espectadores.

Em relação aos distribuidores, o que sofreu uma quebra maior foi, sem surpresa, a Socorama, que este ano apenas contabilizou 205.052 espectadores, contra os 674.722 do ano passado no mesmo período.
 
 

Sugerir correcção