Fernando Alexandre escolhido para secretário de Estado adjunto da Administração Interna

Governo marcou tomada de posse de cinco novos governantes para as 19h, apesar de ainda não ter confirmado os nomes.

Foto
Fernando Alexandre integra a direcção da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho Adriano Miranda

Fernando Alexandre, 41 anos, professor na Universidade do Minho e um dos co-autores do estudo sobre taxa social única, vai ser o novo secretário de Estado adjunto do ministro da Administração Interna.

A escolha partiu do ministro Miguel Macedo, para substituto de Juvenal da Silva Peneda, cuja saída do Governo está relacionada com os contratos de alto risco (swaps) na empresa Metro do Porto.

A tomada de posse dos cinco novos secretários de Estado está agendada para as 19h desta segunda-feira. Berta Cabral será a nova secretária de Estado da Defesa, Leitão Amaro o titular da pasta das autarquias e Castro Almeida o secretário de Estado do Desenvolvimento Regional. A mais recente novidade é a designação de Francisco Almeida Leite para os Negócios Estrangeiros e Cooperação, cargo até aqui ocupado por Luís Brites Pereira. 

Fernando Alexandre é formado em Economia, sendo actualmente vice-presidente da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho. Licenciado e mestre por Coimbra e doutorado em Londres, está desde 1996 ligado à universidade que tem um dos pólos em Braga, distrito do qual é oriundo o actual ministro da Administração Interna.

Contactado nesta segunda-feira de manhã pelo PÚBLICO, Fernando Alexandre não confirmou a escolha. Mas também não a desmentiu, dizendo: “Essas informações deixo-as para o Governo.”

O PÚBLICO confirmou, porém, a notícia através da universidade e por círculos próximos do Ministério da Administração Interna.

O novo governante tem um perfil académico e não é militante do PSD. O seu antecessor no Governo, Juvenal da Silva Peneda, era um engenheiro que acabou por trabalhar nas mesmas áreas (docente de Economia e Direito na Católica) e geriu os transportes colectivos do Porto e o metro da mesma cidade.

Em Setembro de 2012, Fernando Alexandre foi um dos autores de um estudo que avaliou de forma negativa os impactos  da proposta relacionada com o aumento da taxa social única, feita por Pedro Passos Coelho. O Governo apostava na criação de 50 mil empregos nos dois anos seguintes, mas um grupo de economistas da Universidade do Minho, incluindo o novo secretário de Estado, chegou à conclusão de que a descida das contribuições para as empresas e o aumento das mesmas para os trabalhadores teria no curto prazo o efeito contrário ao pretendido, podendo levar ainda a um aumento do desemprego de longa duração.

Pai de três filhos, Fernando Alexandre ganhou alguma notoriedade através dos blogues A Destreza das Dúvidas e The Portuguese Economy, nos quais participa ao lado de outros especialistas em economia e finanças.
 
Notícia corrigida às 14h54: corrige no título e no primeiro parágrafo o cargo que ficou vago com a saída de Juvenal da Silva Peneda, que era secretário de Estado adjunto do ministro da Administração Interna e não secretário de Estado da Administração Interna.