Passos faz declaração ao país

Passos Coelho faz uma declaração de cerca de 15 minutos. Primeiro-ministro pronuncia-se depois de ter apreciado o acórdão do TC e de se ter reunido com o Presidente da República.

Foto
Daniel Rocha

O anúncio desta declaração foi feito apenas alguns minutos depois de o Presidente da República ter publicado no site da Presidência um curto comunicado em que confirma que se reuniu com Passos Coelho e "reitera o entendimento de que o Governo dispõe de condições para cumprir o mandato democrático em que foi investido".

Cavaco Silva afirmava também que manifestou ao primeiro-ministro "o seu empenho em que sejam honrados os compromissos internacionais assumidos e em que sejam alcançados e preservados os consensos necessários à salvaguarda do superior interesse nacional".

Pedro Passos Coelho pediu este sábado uma audiência urgente a Cavaco Silva depois de ter analisado o acórdão do TC na reunião extraordinária do Conselho de Ministros, que implicam que o Governo tenha que encontrar receitas ou despesas extras para cortar 1300 milhões de euros.

O encontro decorreu ao fim da tarde, no Palácio de Belém, e Passos Coelho levou consigo o ministro de Estado e das Finanças, Vítor Gaspar, que se juntou à audiência com o chefe de Estado apenas na parte final da reunião.

Há indicações de que Vítor Gaspar colocou o seu lugar à disposição do chefe do Governo, mas Passos Coelho recusou, preferindo envidar esforços para tentar encontrar uma solução para as medidas da autoria do ministro que foram chumbadas pelo Tribunal Constitucional.