Está confirmado: Heróis do Mar no Pavilhão Atlântico em Novembro

Os Heróis do Mar estão mesmo de regresso. Não para uma digressão, não com um novo disco. Concerto único, dia 30 de Novembro, no Pavilhão Atlântico.

Heróis do Mar
Foto
Heróis do Mar

A 14 de Março, Pedro Ayres Magalhães dava conta que a proposta para a reunião feita pelo promotor Ricardo Casimiro não estava ainda fechada, faltando para tal o acordo final de alguns dos músicos da formação original da banda de Brava dança dos heróis. Agora, é oficial. Está confirmado. Heróis do Mar no Pavilhão Atlântico, dia 30 de Novembro.

A banda que provocou um sobressalto estético e, inicialmente, uma polémica política e cultural no Portugal pop de início da década de 1980, apresentar-se-á na maior sala de concertos do país com a formação original: o baixista Pedro Ayres Magalhães, o vocalista Rui Pregal da Cunha, o guitarrista Pedro Paulo Gonçalves, o teclista Carlos Maria Trindade e o baterista Tozé Almeida. Os bilhetes custam entre 25 e 45 euros.

Inspirados pelo pós-punk e pela new wave que despontavam em Inglaterra, os Heróis do Mar propuseram-se a transpor para Portugal aquele mesmo desejo de alargar as fronteiras da música pop, com renovado sentido estético. Nesse sentido, foram únicos. Nas suas canções, e principalmente nos dois primeiros álbuns, o homónimo de 1981 e A Mãe (1983), a modernidade da música popular urbana cruzava-se com um referências iminentemente portuguesas: nas referências ao nosso imaginário imperial, visíveis na lírica e na iconografia; na forma como encontravam espaço na sua música eléctrica para ecos de ritmos africanos ou de bailes de romaria. O início de carreira foi marcado pela polémica que provocou, num país que vivera há menos de uma década a revolução democrática do 25 de Abril, o olhar orgulhoso para o passado da história, usado durante quatro décadas para propagandear a ditadura do Estado Novo. A polémica seria porém apaziguada, à medida que singles como Amor ou Paixão ganhavam imensa popularidade e transformavam os Heróis do Mar numa das mais bem-sucedidas bandas do país.

Ao longo de sete anos, entre 1981 e 1988, editaram quatro álbuns de originais (Heróis do Mar, A Mãe, Macau e Heróis do Mar IV) e o míni-LP Rapto. Enquanto a banda caminhava para o seu final, Pedro Ayres Magalhães começou a lançar os alicerces de um grupo que o país descobriria em 1987, quando da edição do álbum de estreia Os Dias da Madredeus.

Os Heróis do Mar regressam num momento em que o seu legado é reconhecido e aproveitado por uma nova geração de bandas e músicos que irromperam no cenário musical na primeira década do século XXI. Exemplo máximo: Manuel Fúria, o ex-Golpes que lançou este ano, a solo, o celebrado Manuel Fúria Contempla Os Lírios do Campo, irá interpretar na íntegra A Mãe, o segundo álbum dos Heróis do Mar, num concerto integrado na programação Indie by Night do festival Indie Lisboa. Está marcado para 19 de Abril, no Ritz Clube. A edição online da revista Blitz adianta que Rui Pregal da Cunha, cuja voz ouvimos em Vá lá senhora, o single de maior sucesso d'Os Golpes, será um dos convidados do concerto. 
 

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações