Portugal entre os países da UE com taxa de fecundidade mais baixa

Estudo da Comissão Europeia dá conta de uma quebra geral na taxa de fecundidade total entre 2009 e 2011.

Foto
A Europa está em perda no que respeita a natalidade Reuters

Portugal era, em 2011, o país com a quarta taxa de fecundidade total mais baixa da União Europeia, com 1,35 filhos por mulher, conforme indica um relatório da Comissão Europeia divulgado nesta terça-feira.

A taxa de fecundidade total média para a Europa dos 27 era de 1,57 nados-vivos por mulher em 2011.  

Este indicador diz respeito ao número médio de filhos por mulher em idade de reprodução, ou seja, entre os 15 e os 49 anos.

Em Portugal, esta taxa tem vindo a apresentar níveis decrescentes na última década. Em 2000, encontrava-se nos 1,55 filhos por mulher e, nove anos depois, tinha descido para 1,32, o que vai ao encontro da “tendência geral de reduções anuais durante o período de 2009-2011” indicada no relatório.

“Nas últimas décadas, os europeus têm, no geral, tido menos filhos, o que explica em parte o abrandamento no crescimento da população da Europa dos 27”, pode ainda ler-se no estudo. 

Só a Hungria, a Roménia e a Polónia apresentavam, em 2011, uma fecundidade total mais baixa que Portugal, que partilha o quarto lugar com Chipre.

Já a Irlanda registou a maior taxa de fecundidade, com 2,05 nados-vivos por mulher. Ainda assim, não atinge os 2,1 filhos por mulher necessários para garantir a reposição da população. Isto é, a média de nascimentos por mulher que são precisos para garantir que, na ausência de migrações, a população de determinado país se mantém constante.