DR
Foto
DR

“Recomende um ex”: um catálogo de ex-namorados incríveis

Criado há menos uma semana, o tumblr brasileiro "Recomende um ex" é um catálogo virtual daqueles ex-namorados que não merecem estar solteiros. Toda a gente pode recomendar

A brasileira Carla Cortegoso tinha um ex-namorado "tão legal", mas "tão legal" que, pensou a publicitária de 26 anos, merecia encontrar uma pessoa "tão legal" quanto ele. Nada de arrependimento, mágoa ou vingança. Ele era um tipo porreiro, a relação não tinha resultado, mas poderia funcionar com outra pessoa. Em conversa com os colegas da agência Naked, onde trabalha, Carla percebeu que o seu caso não era único — mais pessoas tinham "ex legais que deveriam ser bem recomendados".

O site "Recomende um ex" surgiu assim. Para agarrar a "chance de transformar a culpa ou o remorso daquele pé-na-bunda em felicidade", como se lê na descrição do site. Carla juntou-se a Caio Andrade, de 25 anos, e Lucas Ohara, de 21 anos, também redactores na agência com sede em São Paulo, e juntos apresentaram a ideia à chefia. Luz verde, tumblr feito e, em menos de uma semana, centenas de recomendações recebidas — mas sem fins lucrativos ou marca à vista, nem mesmo a da agência.

Philippe, por exemplo, "vai à igreja aos domingos" e é muito carinhoso. Luiz é um homem à moda antiga — "faz até coraçãozinho no chão". Mauro "é cheio de ziriguidum", Luísa deixa qualquer um "tonto" e Alessandra "fica bem até com camisa de força". Tudo muito organizado, com fotografia, texto e link para o perfil no Facebook. As palavras são, claro, de quem recomenda. Mas, atenção, há cuidado: "Nós verificamos um a um para garantir que não é autopromoção, que não ofende ninguém e que a pessoa recomendada está mesmo solteira", explica Carla, numa curta entrevista por e-mail ao P3. "Não queremos causar problemas, queremos fazer o bem! Se alguém reclamar, nós removemos." Acidentes acontecem, como no caso do piloto de kart Leonardo Carregosa, que, apesar de estar numa relação há três anos, viu o ser perfil ir parar ao site, como contou ao "iBahia".

PÚBLICO -
Foto
Da esquerda para a direita

O site não está circunscrito ao Brasil, embora a maioria dos perfis sejam deste país. Aliás, admite Carla, já receberam recomendações de alguns portugueses. No entanto, é ainda muito cedo para avançar com a expansão — "não esperávamos esta repercussão". Certo é que os e-mails enviados para [email protected] não param. Fica uma intenção: "A ideia é ajudar tanto quem está solteiro, pois vai receber bons elogios, como quem está a procura de alguém e pode ir lá encontrar um bom partido. Podemos até unir casais de novo, porque não?"