Bento XVI despede-se dos fiéis no dia 27

No dia 28 à noite, o Papa volta a ser o cardeal Ratzinger. O Vaticano será dirigido por um curto período de tempo pelo secretário de Estado Tarcicio Bertone.

Federico Lombardi na segunda-feira durante a conferência de imprensa onde confirmou renúncia de Bento XVI
Foto
Federico Lombardi na segunda-feira durante a conferência de imprensa onde confirmou renúncia de Bento XVI AFP

O Papa Bento XVI dará o seu adeus aos fiéis na audiência geral, na Praça de São Pedro, no próximo dia 27, anunciou o porta-voz do Vaticano, o padre Federico Lombardi, esta terça-feira, em conferência de imprensa.

Lombardi adiantou que não está previsto qualquer celebração especial antes da saída de Bento XVI no próximo dia 28, às 20h00 (19h00 em Portugal). A essa hora, o Papa abandonará as suas funções porque "é a essa hora que, normalmente, o Santo Padre, termina o seu dia de trabalho", justifica o porta-voz.
 

Passa então a ser, de novo, o cardeal Joseph Ratzinger, explicou o porta-voz do Vaticano. Abre-se, então, o período de "lugar vago", sendo o Vaticano dirigido pelo caramelengo, o número dois do Vaticano, o secretáriod e Estado Tarcisio Bertone. O conclave de cardeais, para a escola do novo pontífice, será marcado e já foi anunciado que haverá um novo Papa na Páscoa, que se celebra este ano a 31 de Março.

A missa matinal prevista para quarta-feira de cinzas (13 de Fevereiro), na igreja de Santa Sabina, numa das colinas de Roma, foi transferida para a Basílica de São Pedro porque o Vaticano prevê que "muitos fiéis queiram rezar com o Santo Padre", continua Lombardi. Além disso, os cardeais – responsáveis pela gestão da Santa Sé até à escolha do sucessor de Bento XVI – começam já a chegar ao Vaticano e também marcarão presença nessa celebração, acrescenta.

A celebração do Angelus, domingo 24, e a audiência geral de 27 serão previsivelmente os últimos actos públicos de Bento XVI.

De quarta-feira até ao final do mês, a missa desta quarta-feira "será a última grande co-celebração [no interior de] São Pedro e com a presença dos fiéis e dos cardeais", sublinha o porta-voz.

O Papa vai manter todos os compromissos já agendados e irá cumprir todos os encontros com chefes de Estado, nomeadamente os presidentes da Guatamala e da Roménia.

Entretanto, os jornais italianos noticiam que o Papa foi, há três meses, submetido a uma cirúrgia de rotina para mudar o pacemaker que usa há já alguns anos.