Vasco Graça Moura lança Discursos Vários Poéticos para comemorar 50 anos de vida literária

O cinquentenário literário de Vasco Graça Moura é assinalado na próxima quinta-feira, em Lisboa, com a apresentação de uma colectânea de textos seus, Discursos Vários Poéticos e um serão fadista com Cristina Nóbrega.

Foto
Vasco Graça Moura está a comemorar os 50 anos de vida literária Nuno Ferreira Santos

A colectânea, intitulada Discursos Vários Poéticos , reúne “algumas dezenas de textos de índole mais ou menos ensaística que o autor escreveu nos últimos vinte e tantos anos, e que tanto foram feitos por ocasião de entregas de prémios e homenagens, como serviram para apresentar ou prefaciar livros, funcionaram como base de comunicações e conferências ou constituíram simplesmente artigos de temática literária ou afim”, escreve Graça Moura na introdução da obra que é editada pela Babel.

“Esses textos foram pensados, escritos e apresentados sob a forma de discursos, como tal, proferidos em intervenções públicas. Foi essa característica comum a tantos deles que levou o autor a inspirar-se no título célebre de Manuel Severim de Faria, Discursos Vários Políticos, de 1624”, explica o poeta.

“Por se tratar de literatura na grande maioria dos casos, no conjunto arquivei também alguns 'discursos em causa própria', em que abordei aspectos da minha própria actividade de poeta, tradutor de poesia, ensaísta e ficcionista”, acrescenta Graça Moura.

A celebração tem lugar no Grémio Literário, a partir das 18h, com a apresentação da obra pelo ensaísta e catedrático de Literatura Fernando J.B. Martinho e o comentador político Marcelo Rebelo de Sousa, correligionário político do homenageado.

Após a apresentação, actua Cristina Nóbrega, distinguida em 2009 com o Prémio Amália Rodrigues Revelação, que interpretará alguns poemas que Vasco Graça Moura escreveu propositadamente para o repertório da fadista.“Irei cantar temas que o Vasco Graça Moura escreveu para o meu reportório, dos quais destaco o Talvez, e Questão de Culpa que Carlos Gonçalves musicou, ambos do álbum Retratos, de 2010”, disse Cristina Nóbrega à Lusa.

O primeiro livro de poesia de Vasco Graça Moura, Modo Mudando, foi uma edição de autor publicada em 1963. Nesta obra, termina o primeiro “poema” escrevendo: "mas/todo o poema é perfeitamente impuro”.

A poesia de Vasco Graça Moura, de 1962 a 2010, foi reunida em dois volumes, de cerca de 600 páginas cada, editados em Novembro passado pela Quetzal. Na ocasião, em declarações à Lusa, Vasco Graça Moura, afirmou: “Quando os revisitamos [os poemas], se têm condições para resistir ao tempo, dá-nos a sensação de termos dito de facto o que queríamos dizer”.

Vasco Graça Moura, actual presidente da Fundação do Centro Cultural de Belém, foi já distinguido com o Prémio de Poesia do Pen Clube, em 1994, e, no ano seguinte, com o Prémio Pessoa. Em 1998, ganhou o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores. Em 2007, recebeu o Prémio Max Jacob para Poesia Estrangeira e, em 2008, o Prémio Tradução do Ministério da Cultura italiano pelas traduções de Dante e de Petrarca.

Vários poemas seus têm sido interpretados por nomes como Mariza, Carlos do Carmo e Cristina Branco, entre outros.