Ministro tem “total confiança” em Franquelim Alves e rejeita suspeitas

Santos Pereira assume que a escolha do antigo administrador no grupo SLN-BPN foi sua e sujeita a "um processo de escrutínio e de ponderação muito profunda”.

O ministro diz que o secretário de Estado “esteve sempre acima de todas as suspeições”
Foto
O ministro diz que o secretário de Estado “esteve sempre acima de todas as suspeições” Enric Vives-Rubio

O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, expressou este domingo “total confiança” no recém-empossado secretário de Estado do Empreendedorismo, Franquelim Alves, rejeitando as diversas “insinuações e suspeitas” lançadas contra o antigo administrador no grupo SLN - Banco Português de Negócios (BPN).

Franquelim Alves foi escolhido para o cargo de secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, por ser “um profissional com mais de 43 anos de gestão” e uma pessoa “que esteve sempre acima de todas as suspeições”, disse o ministro da Economia aos jornalistas, em Coimbra.

“Eu queria reiterar não só a minha total confiança no doutor Franquelim Alves, como também dizer que todas as nomeações de secretários de Estado são sujeitas a um processo de escrutínio e de ponderação muito profunda”, declarou Santos Pereira.

O ministro sublinhou que o secretário de Estado do Empreendedorismo “é uma pessoa que já trabalhou, quer na reestruturação da dívida pública nacional, quer como secretário de Estado num anterior governo”. “É chegada a hora de dizer basta com insinuações e suspeitas que só servem para fazer baixa política”, afirmou Santos Pereira, rebatendo as críticas feitas nos últimos dias à nomeação de Franquelim Alves pelo facto de ter sido administrador no grupo Sociedade Lusa de Negócios - Banco Português de Negócios (SLN-BPN).

Na sua opinião, essas críticas, assumidas especialmente por dirigentes dos partidos de esquerda e pelo antigo candidato à Presidência da República Manuel Alegre, constituem “um aproveitamento político inqualificável” e servem também, “obviamente, para jogos políticos mais obscuros”. “Quem, obviamente, se mostre indignado que diga publicamente. Eu acho que isso é óbvio que tem de acontecer”.<_o3a_p>

Franquelim Alves, “quando participou na Sociedade Lusa de Negócios, foi convidado para a reestruturação da empresa”, disse. “Muitas vezes, há vários interesses instalados que têm tentado colocar algumas suspeitas quando estão exactamente sob ataque”, acrescentou Santos Pereira, sem especificar, recusando “manobras políticas absolutamente lamentáveis”.

O ministro da Economia assumiu ainda, pessoalmente, a responsabilidade pela nomeação de Franquelim Alves. “A responsabilidade é obviamente minha”, disse.