Ary Ferreira da Cunha ganhou também o título de Best Speaker DR
Foto
Ary Ferreira da Cunha ganhou também o título de Best Speaker DR

Eles são os campeões do mundo dos debates

Ary Ferreira da Cunha e Tiago Laranjeiro, ambos de 24 anos, só queriam chegar às rondas finais, mas acabaram por vencer

Dois alunos da Sociedade de Debates da Universidade do Porto tornaram-se campeões mundiais de debate, numa competição em Berlim, na categoria English as a Foreign Language (EFL). Ary Ferreira da Cunha e Tiago Laranjeiro, ambos de 24 anos, só queriam chegar às rondas finais, mas acabaram por vencer.

Além dessa vitória, na noite de 3 de Janeiro, Ary Ferreira da Cunha trouxe também o título de "Best Speaker" da Final EFL e Speaker de EFL dos mundiais e Tiago Laranjeiro conseguiu um sexto lugar no Best Speaker EFL do campeonato. 

[A participação foi] “muito positiva", não só para nós, acho que foi muito positivo tanto para a Sociedade de Debates da UP como para o debate competitivo em Portugal”, disseram.

PÚBLICO -
Foto
Esta nova geração de debaters nasceu em 2008 na Faculdade de Direito da Universidade do Porto DR

Aliás, como referiram no Facebook, achavam que isto, uma vitória para uma equipa portuguesa, só viria na próxima geração de “debaters” portugueses. “É imensamente gratificante, um orgulho imenso, mas também uma maior responsabilidade para o futuro, põe a fasquia um bocado alta, ” diz Tiago Laranjeiro.

PÚBLICO -
Foto
Tiago Laranjeiro conseguiu um sexto lugar no Best Speaker EFL do campeonato DR

Esta nova geração de "debaters" nasceu em 2008 na Faculdade de Direito da Universidade do Porto. Pouco depois, apareceu a Sociedade de Debates da Faculdade de Economia e, diz Ary: "Rapidamente se tornou claro para as pessoas que estavam à frente dos dois projectos que era necessário ganharmos escala.”

Em Agosto de 2010 nasceu a Sociedade de Debates da Universidade do Porto, uma fusão de ambas que permitiu ter "acesso a uma 'pool' de talento maior do que qualquer uma das faculdades tinha”.

Rapidamente, depois disso, começaram a aparecer mais sociedades de debates pelo país: primeiro em Lisboa, no Minho, em Trás-os-Montes e Douro (UTAD) e ainda uma outra sociedade na capital (Sociedade de Debates de Lisboa).

Mas tem sido o Porto o palco organizador dos principais eventos internacionais de debate em Portugal, um objectivo da SdDUP desde a sua formação, que contou com Ary como presidente nos dois primeiros anos e que tem agora Tiago à frente.

“Assim que nos registámos, começamos a trabalhar na nossa ‘expansão internacional, que passou por mandar emails a algumas centenas a dizer falem connosco.” 

A maior parte das pessoas não respondeu. “Mas aquelas que responderam deram-nos um 'feedback' bastante útil, sobretudo a Anne Valkering, que nos mandou um email de várias páginas com conselhos úteis e, sobretudo, que nos convenceu a enviar dois oradores ao International Debate Academy na Eslovénia (IDAS)."

Ainda em 2011, foi organizado o primeiro International Debate Camp, repetido em 2012, com campos de treino mentorados pelos vários campeões mundiais. E este ano, resultado do crescimento das sociedades de debates nacionais, o Tornadu: Torneio Nacional de Debates Universitários, organizado pela SdDUP, que reuniu cerca de 100 "debaters" nacionais em Fevereiro de 2012.

Porquê debater? Tiago diz que o debate vem da “vontade de pensar e discutir criticamente aquilo que está à nossa volta, intervir nisso.” “É uma forma de recuperarmos algum atraso na qualidade do discurso democrático em Portugal,” diz Ary.

“O nível de discussão que temos é muito fraco: o debate é associado muito à politiquice, muito ao vender da banha da cobra. Isso prejudica a qualidade da nossa democracia, da nossa cidadania, a capacidade de exigirmos da classe política. O debate promove o diálogo, a articulação de ideias de uma forma clara e que é perceptível e para o outro, a escuta activa, algo essencial para termos diálogo minimamente produtivos. O debate é uma forma de melhorar a democracia.”