Hilary Mantel recebe mais um prémio literário por Bring Up the Bodies

A escritora britânica é o primeiro autor a conseguir receber no mesmo ano o prémio literário Man Booker e o prémio Costa para melhor romance.

Foto

Pela primeira vez na história dos prémios literários Costa Book Awards mulheres venceram todas as categorias.

Ao prémio, que existe desde 1971 (era o antigo Whitbread) podem concorrer obras editadas o ano passado por escritores que vivem no Reino Unido e na Irlanda. Cada vencedor por categoria recebe 5 mil libras (pouco mais de 6 mil euros). 

A romancista Hilary Mantel recebeu o prémio de melhor romance com Bring up the Bodies, que já lhe tinha dado o prémio Man Booker 2012 e  o National Book Award na categoria de Autor do Ano. O romance será publicado em Portugal pela editora Civilização em Abril. É a sequela de Wolf Hall, romance histórico já traduzido para português. A esta categoria concorriam também obras de James Meek e de Stephen May.

A académica Mary Talbot e o seu marido Bryan Talbot (um veterano da BD) receberam o prémio de melhor biografia com a novela gráfica Dotter of her Father's Eyes, a biografia da filha de James Joyce, Lucia, entremeada com as memórias da relação perturbada da autora com o seu pai, o académico especialista em Joyce, James S. Atherton. 

A jornalista e escritora Francesca Segal recebeu o prémio de melhor primeira obra com The Innocents, que se passa numa comunidade judia em Londres e tem por modelo A Idade da Inocência de Edith Wharton. Este livro também será publicado em Portugal pela editora Civilização.

A poeta escocesa Kathleen Jamie recebeu o prémio de poesia pela sua antologia The Overhaul e o prémio da literatura infantil foi para a escritora e ilustradora Sally Gardner por Maggot Moon.

No dia 29 de Janeiro, numa cerimónia em Londres, será anunciado o Costa Book of The Year. Todos os vencedores de cada categoria concorrem. Desde que esta categoria de melhor livro do ano existe -  foi criada em 1985 - o prémio foi atribuído dez vezes a um romance, quatro a uma primeira obra, cinco a uma biografia, sete vezes a um livro de poesia e uma vez a um livro infantil.

O ano passado o vencedor do 2011 Costa Book of The Year foi Pure de Andrew Miller ( A Cidade Impura, publicado pela editorial Presença em Portugal).