Líder democrata-cristã em França diz que gays podem casar-se, mas não entre eles

País está a discutir a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Christine Boutin defendeu que os gays já têm direito ao casamento, desde que seja com alguém heterossexual.

Debate em França está intenso desde a aprovação de uma proposta legislativa do Governo, em Novembro
Foto
Debate em França está intenso desde a aprovação de uma proposta legislativa do Governo, em Novembro GERARD JULIEN/AFP

No que toca ao casamento, em França, não há discriminação dos homossexuais. Quem o diz é a líder do Partido Democrata Cristão, Christine Boutin, numa declaração na véspera de Natal em que defendeu que os gays já podem casar-se, desde que não seja com alguém do mesmo sexo.

"Toda a gente tem direito ao casamento", frisou Boutin, que chegou a ser ministra de Nicolas Sarkozy, com a pasta da Habitação e Desenvolvimento Urbano. "Os homossexuais podem obviamente casar-se, com alguém de outro sexo", frisou a líder democrata-cristã, numa entrevista à iTélé, mostrando-se esperançada de que milhares de pessoas participem na manifestação anticasamento gay que está marcada para 13 de Janeiro de 2013.

E por que não podem os gays casar-se entre eles? "Porque o casamento assegura, através da relação carnal, que haverá esperança no nascimento. O casamento é isso, não é de todo uma questão de amor", afirma a mesma responsável política, num excerto que está disponível online em vídeo.

Boutin foi, em 1999, uma acérima opositora ao pacto civil existente em França, uma legislação que autorizou a união civil entre pessoas do mesmo sexo.

O tema do casamento gay está muito presente nesta altura no debate político em França. No início de Novembro, dias antes de o Governo francês ter aprovado um plano para a introdução do casamento entre pessoas do mesmo sexo na legislação francesa, uma sondagem BVA, divulgada pela AFP, sugeria que 58% dos franceses são favoráveis à legalização do casamento gay. Porém, esse valor era mais baixo do que aquele registado numa outra sondagem em 2011, que dava 63% dos franceses como apoiantes desta causa.

Na campanha que elegeu François Hollande para a Presidência, este socialista que derrotou Nicolas Sarkozy tinha prometido uma legislação do género até meados de 2013. Uma versão preliminar da proposta legislativa irá ser apreciada no Parlamento em Janeiro de 2013. Se passar, a França tornar-se-ia no 12.º país do mundo a autorizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A proposta socialista não se resume à questão do casamento, enquadrando também o tema da adopção, que não está prevista na legislação portuguesa, por exemplo, que autoriza o casamento entre homossexuais desde 2010.